De trigo também vale!

As coisas estão mudando! Aos poucos o nome vai ficando familiar! Cerveja de trigo, weiss, weissenbier ou hefeweizen. Tanto faz o nome, o importante é apreciar essa especialidade das terras germânicas, em especial a região sul da Baviera.  Altamente recomendado para os iniciantes na arte da degustação de cervejas artesanais.  O trigo é usado no processo de fabricação da cerveja no lugar da cevada (as vezes junto) com a finalidade de liberar seus açucares para o processo de fermentação. E o que muda?

Usar o trigo é ultra benéfico. Sabe por que? A cerveja de trigo, weizenbier, é riquíssima em proteínas e vitamina B. Uma sugestão para curar a ressaca devido ao seu poder nutritivo e hidratante. Quanto a aparência é uma cerveja diferente. Turva devido a suspensão de sedimentos da levedura na cerveja – sabe aquela borra que fica no fundo da garrafa? Adocicada graças a alta carga de açucares do trigo com notas de cravo, banana, baunilha e tutti-fruti.  Aguarde uma cerveja com espuma generosa, densa e doce.

Quanto a história, as cervejas de trigo são igualmente deliciosas. Em 1516 a Alemanha assinou a Reinheitsgebot, ou Lei de Pureza da Cerveja, estimulando que todas cervejas deveriam ser feitas de malte de cevada ou trigo, água e lúpulo. Essa lei, felizmente, foi modificada dando mais asas a imaginação dos cervejeiros alemães.

O sabor levemente salgado da Gose faz dela uma cerveja única no mundo.

Ainda nas cervejas alemãs de trigo, vale destacar o estilo Gose. Cerveja salgada! Isso mesmo! Uma cerveja fabricada na região de de Liepzig na Alemanha e se destaca pelo uso de água salgada do rio Goslar, tornando-a única no mundo – uma ótima cerveja para o calor.

 

Dicas: Erdinger Weissbier; Paulaner Weissbier; Schneider Weiss; Weinhenstephaner; 

No Brasil, tome: Brahma Extra Weiss (uma boa dica para conhecer o estilo); Baden Baden Weiss; Eisenbahn Weizenbier; Barco Thai

 

Eduardo Devai

Eduardo Devai é professor de Geografia na rede pública e privada e psicopedagogo e aficionado em cervejas.