Cadeirantes sofrem com calçadas e rampas irregulares em Ourinhos

A falta de rampas e buracos nas calçadas está dificultando o acesso de moradores em Ourinhos(SP), principalmente de alguns portadores de deficiência. Muitos locais não atendem às necessidades de quem anda de cadeira de rodas e dificultam a locomoção.

João Carlos Leodel de Souza é um desses portadores. Ele teve poliomielite aos três anos e as complicações da doença fizeram com que ele perdesse o movimento de suas pernas. Aos 57 anos, ele leva a vida em uma cadeira de rodas e busca se locomover sozinho. Porém, sofre com as calçadas irregulares.

Na Praça Vila Moraes, por exemplo, não tem rampa de acesso para atravessar a rua. Para João, é uma triste realidade. “Não podia ser assim. Não tem como andar direito nas calçadas por causa dos buracos. Tem lugar que não tem a rampa e a gente precisa pedir ajuda para os outros para subir”, lamenta João Carlos.

Cristiano Oliveira também é cadeirante e sofre com os obstáculos encontrados pelas ruas do centro. Segundo ele, o grande problema é a falta acessibilidade. “Não basta ter uma rampa ou simplesmente uma vaga para deficiente. Essas vagas e essas rampas devem estar nas normas da ABNT para cadeirantes. Para uma pessoa que não tem deficiência, um detalhe pode passar despercebido, mas para gente, que tem algum tipo de deficiência, um detalhe faz toda a diferença”, afirma.
Flagrante
A equipe da TV TEM convidou Cristiano para dar uma volta pela região central de Ourinhos e vários problemas foram flagrados. Em uma das rampas, por exemplo, a cadeira dele chegou a ficar inclinada e Cristiano quase caiu. “Se minha cadeira não tivesse as rodas anti tombo, que fica atrás, provavelmente eu teria caído”, ressalta.

Como não bastassem os buracos, rampas erradas e a falta delas, os portadores de deficiência sofrem com as pessoas que não respeitam os espaços reservados para os deficientes.  A reportagem flagrou um motorista que parou o carro na faixa de pedestres e na frente de uma rampa para cadeirantes.

Necessidades
Em Ourinhos, pelo menos 400 pessoas são atendidas na Associação de Apoio ao Deficiente Físico (AADEF). No Brasil, esse número pode chegar a 24% da população. Segundo o presidente da associação, falta muito para Ourinhos se adequar as necessidades de quem tem alguma dificuldade para se locomover.

“A entidade está preparada para receber as reclamações e denúncias dos portadores de deficiência. Quando nós recebemos essas denúncias ou reclamações, nós encaminhamos aos órgãos competentes tomem as devidas providências”, afirma Ede Brito.

Em nota, a Prefeitura de Ourinhos disse que tenta resolver os obstáculos de responsabilidade do município sempre que é notificada do problema.

 

Fonte: TVTEM