Editorial: Contratempo para Fariseus Hipócritas

Se muitos daqueles que se dizem cristãos, vestiram a carapuça e se incomodaram com as frases dos soldados romanos, é porque se comportam de forma hipócrita como aqueles que crucificaram Cristo. Esqueceram há muito tempo as suas lições. O que mostra que a decisão de publicar a charge estava correta.

O Jornal Contratempo publicou nesta sexta-feira (30/03) charge do gaúcho Kayser, um cartunista premiadíssimo em uma longa e respeitada carreira de 28 anos.

A charge trazia a essência da mensagem de Cristo e, por isso, era apropriada para a data. Em sua passagem pela terra, Jesus defendeu acima de tudo o amor, mas também a sua expressão através da solidariedade, justiça, misericórdia e o perdão.

A charge mostrava frases de ódio típicas dos soldados romanos, que perseguiram Jesus e os primeiros seguidores, mas que são ditas por muitos daqueles que se dizem cristãos, mas compartilham pouquíssimos valores com Cristo e não vivem e pregam os seus verdadeiros ensinamentos.

Engana-se aquele pensa que mesmo Cristo não foi duro com aqueles que se utilizam da fé, para deturpá-la e se beneficiar pessoalmente. A crítica de Jesus à hipocrisia (características de falsos e dissimulados) dos fariseus não deixa dúvida disso, como consta na própria Bíblia em Matheus 23:23,24:

“Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas.
Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo. ”

Nesta passagem Jesus é extremante duro com aqueles que seguem alguns rituais e oferendas da fé, mas não praticam seus valores essenciais: justiça, a misericórdia.

Cristo já havia sido suficientemente claro em relação ao fato de que todos os seus ensinamentos deveriam ser interpretados sob o prisma do amor. No entanto, a passagem que Jesus diante de uma adúltera presa em flagrante, portanto com pouquíssimas dúvidas sobre a veracidade do fato, é muito mais que um ato de sagacidade divina diante das artimanhas daqueles que o perseguiam. É, antes de tudo, um exemplo prático do exercício da justiça divina, conforme a Bíblia em João 8:10,11:

“Então Jesus pôs-se de pé e perguntou-lhe: “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?”
“Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”.

A Bíblia não é um livro morto ou de rezas incompreensíveis. Aquilo que consta em suas páginas possui um propósito. Como livro sagrado, seus ensinamentos foram pensados para durar por milênios, inclusive para os dias atuais.

Se muitos daqueles que se dizem cristãos, vestiram a carapuça e se incomodaram com as frases dos soldados romanos, é porque se comportam de forma hipócrita como aqueles que crucificaram Jesus e esqueceram há muito tempo as suas lições. O que mostra que a decisão de publicar a charge estava correta.

Feliz Páscoa à Todos! E que as palavras de amor e perdão de Jesus sejam ouvidas e praticadas nesses tempos de ódio e hipocrisia!