170 funcionários do comércio de Ourinhos iniciam curso de Libras

No mês de maio, a Lei 6.507 de 2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade do acesso em Libras (Língua Brasileira de Sinais) em lugares de atendimento ao público, em Ourinhos, foi aprovada na Câmara dos Vereadores.

A lei exige que os funcionários de entidades particulares ou do Estado ofereçam cursos de Libras para seus funcionários e também sinalizem seus estabelecimentos com uma placa visível de “Acesso em Libras”.

A iniciativa tem o objetivo de incluir e melhorar a vida das pessoas surdas ou que se comunicam através da Língua Brasileira de Sinais. A falta de intérpretes em Libras trabalhando com atendimento ao público limita e exclui, principalmente, as pessoas surdas, que deixam de sair de casa, consumir e estarem em contato social para evitar o transtorno causado pela falta de comunicação.

Nesta última quarta-feira, 03, os funcionários do comércio de Ourinhos foram à aula inaugural do curso de Libras no Sindicato dos Comerciários. Por enquanto, 170, dos 4 mil trabalhadores do comércio, iniciaram o curso, que já teve as inscrições encerradas.

As aulas para os comerciários ocorrerão das 19h às 21h nos dias 24 e 31 de julho e 07, 14, 21 e 28 de agosto no salão paroquial da Igreja Catedral. Para outras categorias e a população em geral, as aulas serão promovidas das 19h às 21h nos dias 1, 8, 15, 22, 29 de agosto e 5 de setembro. As inscrições dos demais setores também já foram encerradas.

A Lei 6.507 de 2019 determina que os estabelecimentos passarão a ser punidos se não cumprirem com a norma. Clique para ler a Lei.

A promoção de cursos demonstra um avanço e preocupação com a inclusão; e a continuidade da qualificação deve ser vigiada e cobrada pela população – empresas, sindicatos e a Prefeitura devem usar de suas estruturas para qualificar e garantir que o atendimento ao público siga a lei e atenda todas as pessoas.

 

Eduarda Schuh

21 anos e ourinhense de coração. Estudante de Jornalismo na UNESP de Bauru. Aspirante a jornalista há algum tempo. Buscando um caminho para um mundo mais justo há ainda mais tempo. Contra qualquer tipo de exclusão e elitização, escrevo para quem precisa entender. Feminista e progressista, procurando os erros e acertos.