Cicloturista carioca que percorre América do Sul e Brasil de bicicleta passa por Ourinhos

Na terça-feira, 10, passou por Ourinhos, o ciclista carioca Silvio Almeida, 60 anos, que está percorrendo de bicicleta, os países da América do Sul e o estados brasileiros, cujo projeto teve início há 3 anos e deverá durar até 2020.

Em sua breve passagem, o ciclista fez questão de conhecer a ciclofaixa da Avenida Miguel Cury e deixou uma mensagem para o prefeito e vereadores da cidade. “Eu gostaria de pedir que o prefeito e os vereadores de Ourinhos analisem com carinho, a possibilidade de se criar outras ciclofaixas em outros bairros e regiões da cidade, além de estender esta que já tem na cidade, que é muito boa, estimulando assim, a população a usar a bicicleta não apenas para o lazer, mas para trabalhar, estudar, o que com certeza trará melhor qualidade de vida para as pessoas e para a cidade, já que com menos carros circulando, será menor a poluição do meio ambiente, além de ser um hábito saudável que faz bem a saúde de quem o pratica”, ressaltou.

Em entrevista, o ciclista falou sobre os locais por qual já passou, o que o motivou a realizar esse projeto ousado e quais serão as próximas etapas. “Os três grandes objetivos ao criar o Projeto Rota Sul km a km, que levará seis anos para ser executado, foi basicamente viver, ter saúde, divulgar o cicloturismo que ainda é muito fraco no país ainda e por fim, mostrar para as pessoas que quando você entra na terceira idade, pode fazer tudo que quiser desde que respeite suas limitações físicas e que isso também traz mais qualidade de vida nessa faixa etária permitindo que você viva mais e com saúde”, explica.

De acordo com Sílvio, seu projeto prevê passar por todos os países das Américas do Sul e Central e todos os estados brasileiros. “Eu comecei a primeira etapa do projeto em 2014 saindo do Rio de Janeiro e passei por todos os estados do Sul, posteriormente percorri toda a costa uruguaia, passei pela Argentina por Buenos Aires e atravessei o país por Mendoza, entrei no Chile, atravessei a Cordilheira dos Andes, fui a Santiago e depois a Villa Del Mar, já que meu objetivo era pedalar do Atlântico ao Pacífico. A segunda etapa em 2015, eu fui de Fortaleza ao Rio de Janeiro, para pegar à parte leste da América do Sul. Este ano eu fiz Peru, Bolívia e a parte norte do Chile e da Argentina, cheguei ao Paraguai e entrei essa semana no Brasil por Foz do Iguaçu, passei por Maringá e Londrina e cheguei a Ourinhos, seguirei viagem para Avaré e as cidades seguintes até chegar ao Rio de Janeiro. Em março, irei pedalar em três ou quatro países da Europa e em setembro retomo o projeto Rota Sul, fazendo a parte da América Central e o norte da América do Sul, ficando a última viagem Buenos Aires até Villa Del Mar”, contou.

O ciclista revelou ainda que após encerrar essa etapa de seu projeto daqui a três anos, pretende dar continuidade as viagens de bicicleta percorrendo todos os países da Europa.

Silvio ao lado de Luciane, proprietária da Tanny Hospedagem que lhe ofereceu alimentação e estadia durante sua passagem em Ourinhos

Estrutura de viagem

Através de patrocínios de apoio, Silvio Almeida diz que viabiliza parte das paradas, ganhando hospedagem e alimentação, assim como aconteceu em Ourinhos, onde ficou hospedado na Thany Hospedagem, próximo ao Aeroporto. No entanto, o ciclista carioca leva junto em sua bicicleta toda uma estrutura necessária para as paradas em lugares que não possui local para hospedagem,  levando barraca, panela, fogão e outros apetrechos necessários, dormindo em postos de combustível, postos policiais ou de bombeiros.

 

 

 

Sílvio durante passagem pela Cordilheira dos Andes

Lugares inesquecíveis

Segundo Almeida, a viagem de bicicleta é completamente diferente do que de carro, o que a torna emocionante e inesquecível. “Quando um carro passa por uma ponte, muitas vezes nem percebe, já o ciclista pode parar, ouvir a água que passa por baixo da ponte, os passarinhos, e tem lugares que mexem com sua alma, um lugar que eu tinha o sonho de conhecer e achei maravilhoso atravessar a Cordilheira dos Andes, foi emocionante, a costa uruguaia é linda também, além de atravessar as montanhas do Peru e da Bolívia, sabendo que você está a 5.800 do mar e tem uma imensidão de coisas para ver ainda”, revelou.

 

 

Patrocínio para a próxima etapa da viagem 

Durante sua entrevista, Sílvio falou sobre a necessidade de obter outros patrocínios para viabilizar a próxima etapa de sua viagem. “Atualmente tenho 11 patrocínios, mas preciso viabilizar novos apoios para a viagem de setembro e quem quiser me patrocinar, pode entrar em contato comigo nas minhas páginas no Facebook, na fanpage Projeto Rota Sul Km a Km ou em minha página pessoal, Silvio Almeida”, afirmou.

 

 

Ciclovia na Av. Paulista em São Paulo

Ciclismo cria interação entre as pessoas 

Silvio Almeida falou ainda sobre a importância da utilização do ciclismo como forma de interação entre as pessoas. ”Vejo com muitos bons olhos, o fechamento de ruas e avenidas em cidades como São Paulo com a avenida Paulista, ou no Rio de janeiro no Aterro do Flamengo, o que permite a prática do ciclismo, que é um esporte saudável e diminui o fluxo de veículos nas grandes cidades, os congestionamentos, deixando o ar mais puro, para a médio prazo, diminuir as doenças respiratórias por ter menos poluição. Além disto cria uma interação entre as pessoas e suas famílias, que é algo muito importante para a sociedade, pois com o fechamento das avenidas e ruas e a implantação das ciclovias e ciclofaixas, garantindo a segurança para os ciclistas, isso tornará as cidades mais saudáveis e humanizadas, por isso, em minhas viagens sempre aconselho os prefeitos das cidades por onde eu passo, a criar esses espaços de interação”, conclui.

Patrocínios do ciclista    

Sílvio Almeida é patrocinado pelas seguintes empresas: R.M.B Uniformes, Arco Iris Restaurante, Belli Pesca e Cia, Pedalares, Casa Del Mar Hotel, Real Bike Paraguai, Bike Center, Paulo Behrens Bikes, Urgent Planet, Quiosque a Grande Família, Point dos Amigos do Guapi.