Quentinhas da Semana

Foi dada a largada…
Nem bem começou o ano e vários “pré-candidatos” a vereador já estão em plena “ pré campanha”, na corrida pelos votos dos ourinhenses. Já e possível notar vários carros com adesivos ostentando os nomes dos pré-candidatos, fato que poderia (ou deveria) caracterizar propaganda antecipada (vedado por lei e sujeito a impugnação de candidatura). Mas como no Brasil as leis não são levadas a sério, o negócio e correr contra o tempo e por “seu bloco na rua”. Entre os nomes vistos nos adesivos de carros, existem aquelas “ figurinhas carimbadas” que saem candidatos em toda eleição mesmo sabendo que não serão eleitos , talvez em busca de um “cacife eleitoral” que viabilize posteriormente a obtenção ( ou permanência) em cargos de confiança na administração municipal, fenômeno visto em larga escala na atual gestão, onde vereadores que abriram mão de se candidatar a reeleição foram agraciados com secretarias e candidatos não reeleitos e outros que não tiveram êxito nas urnas ganharam cargos de confiança na administração municipal. Como em toda eleição surgem os “nomes novos”, talvez animados pela última eleição, onde vários “estreantes” nas urnas foram eleitos.

 

Em campanha??

Chamou atenção de quem estava no Shopping Ourinhos Plaza (inaugurado em julho do ano passado)  na semana passada, a presença do prefeito Lucas Pocay, coincidentemente num dia de grande movimento, fato que traz a impressão que a campanha pela reeleição já começou…

 

 

Censura??
No final do ano passado, um jornal local lançou uma enquete sobre a sucessão municipal em que colocou alguns nomes como possíveis candidatos a prefeito. Embora todos saibam que as enquetes não tem valor científico, parece que “alguém” se sentiu incomodado ou receoso com a possibilidade dos resultados apontados pela enquete não serem favoráveis e acabar prejudicando “seus planos” , fato que acabou impedindo a divulgação dos resultados. Será que estamos voltando ao tempo da censura??

 

Havan em Ourinhos??

No dia 01 de janeiro, o prefeito Lucas Pocay postou em sua fanpage de uma rede social que a Havan instalará uma loja em Ourinhos e que inclusive o proprietário Luciano Hang ( condenado em segunda instância por sonegação fiscal e que foi um dos maiores apoiadores da campanha do então candidato Jair Bolsonaro à presidência da República, cuja empresa é suspeita de ter financiado disparos em massa de ‘fake news’ através de grupo de whatsapp, contra o candidato adversário Fernando Haddad, violando a legislação eleitoral) já teria vindo à cidade estudar possíveis locais para construção e instalação da loja.

 

 Nova diretoria na ACE
Após várias gestões consecutivas à frente da ACE (Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos) Diógenes Corrêa Leite passou o bastão para o empresário Robson Martuchi que assumiu a presidência da entidade no dia 01 de janeiro.

 

 

 

 

Crescimento forjado??
Foi divulgado com estardalhaço pela grande mídia no final do ano, que as vendas do Natal em shoppings centers teriam crescido 9,5%, em relação a 2018, de acordo, com Pesquisa feita pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (ALSHOP), que reúne os dados de 30 mil pontos de vendas distribuídos por todo o país e representa 400 empresas de varejo. No entanto, logo após sua divulgação, o fato foi desmentido pelo Instituto Ibope, que segundo a ALSHOP, teria chancelado os resultados da pesquisa. De acordo com o Ibope, o Instituto não foi contratado para realizar nenhuma pesquisa a respeito. Indignados com a pesquisa “fake”, a dissidente Associação Brasileira dos Lojistas Satélites (Ablos), refutou os resultados e afirmou que pretende entrar na Justiça para desmentir os números. A verdade é que foi nítida nas principais capitais e também nas cidades de menor porte, a queda do movimento dos consumidores nas semanas que antecederam o natal. Em Ourinhos, o fenômeno também foi visto e vários lojistas afirmaram que esse foi o natal mais fraco dos últimos anos e que as vendas diminuíram muito em relação aos anos anteriores, fato que reforça a suspeita que a referida pesquisa divulgada pela ALSHOP poderia ter sido forjada para ofuscar a real situação da economia brasileira.