Secretaria de Cultura restringe acesso a instrumentos da Escola de Música e Associação ameaça entrar na Justiça

Parece que a polêmica em torno das iniciativas do secretário municipal de Cultura Paulo Flores, irá marcar sua gestão a frente da Pasta nos próximos quatro anos, obrigando o prefeito Lucas Pocay a atuar constantemente como ‘bombeiro’ a fim de apagar o ‘fogo’ das discórdias causadas por suas ações.

Poucos dias depois do prefeito ter se reunido com representantes do bailado para tentar desfazer o mal estar criado pela divulgação que Flores iria transferir as aulas de bailado para o SESI (leia abaixo), outra polêmica começa a ganhar corpo e deve repercutir nas redes sociais nos próximos dias, podendo inclusive causar uma grande ‘dor de cabeça’ para Pocay, caso ele não consiga ‘apagar’ esse novo ‘incêndio’ criado por Flores, desta vez na Escola de Música.

Segundo informações obtidas, o secretário Flores determinou que os instrumentos musicais da Escola de Música fiquem trancados em uma sala, já que pertencem a prefeitura, uma vez que, segundo ele, os equipamentos foram adquiridos pela administração municipal nos últimos anos, por meio de um convênio.

No entanto, de acordo com a Associação de Amigos e Pais da Escola de Música, isso não corresponde à verdade, já que a maioria dos instrumentos foi adquirida por meio de doações de pessoas da sociedade ourinhense e outros comprados com recursos próprios captados por meio de festas e eventos promovidos pela Associação.

O ‘imbróglio’ criado pelo secretário de Cultura poderá acabar na Justiça se até esta semana a questão não for resolvida e os instrumentos voltarem a ser disponibilizados, como sempre ocorreu, de acordo com os integrantes da Associação, que prometem entrar na Justiça propondo medidas cíveis e criminais contra a Prefeitura.

Pelo visto, mais uma vez caberá ao prefeito Lucas Pocay intermediar e resolver a questão, já que segundo dizem os componentes da Associação, “o acesso ao secretário Flores é restrito e o diálogo com ele tem se mostrado muito difícil”.

Reunião com o Bailado 

Após a repercussão negativa da transferência do bailado de Ourinhos, que deverá funcionar no antigo SESI, o prefeito Lucas Pocay se reuniu com integrantes do Bailado na semana passada e esclareceu que a mudança só ocorrerá após uma reforma e adequação ao local, que segundo ele será mais amplo do que a atual estrutura no prédio do Centro Cultural e que em relação a saída da diretora Tiririca, existe um projeto maior para ela que envolverá o aprendizado de Ballet nas escolas municipais.

Durante a reunião, o prefeito afirmou que houve um equívoco em relação à informação de que a transferência seria imediata, no entanto, algumas evidências, apontam o contrário, já que de acordo com alguns integrantes do bailado que preferem não se identificar com medo de represálias, até barras de estudo dos alunos do bailado já haviam sido retiradas do local.