Semana de Geografia da Unesp de Ourinhos tem como tema o Golpe de 2016: Impactos e perspectivas políticas no Brasil e América Latina.

O advento político do Impeachment 2016 concebido como “Golpe 2016”, teve sua consumação de grave ruptura na ordem democrática nacional que resultou no Impeachment da Presidenta Dilma Rousseff foi amplamente discutido pelas Universidades do Brasil, em toda América Latina e no mundo.Este evento que foi divulgado pelo Jornal Contratempo outras duas vezes (ver em [1] e [2]) e seus consecutivos adiamentos da décima quarta edição da Semana de Geografia da UNESP Ourinhos, nos mostra que até para discutir esses temas, está também sendo atribulado e perturbado, justamente pela instabilidade política em que nos encontramos. Mas ele foi superado e irá acontecer. Vamos aos propósitos e mais informações sobre este evento.

É justamente pela demanda da busca por um entendimento do que se representou este fato que a UNESP Ourinhos, promoverá no período de 27 a 31 de Agosto de 2018 e tem a honra de convidar, mais uma vez, os professores, estudantes, políticos e interessados em geral para que compareçam na XIV Semana de Geografia, nesta edição o tema escolhido pelos membros da organização do evento é o “Golpe 2016: Impactos e Perspectivas Políticas no Brasil e América Latina”. Sendo assim, é importantíssimo que essa discussão seja ampla e atinja toda a comunidade de Ourinhos e região.

Logo, cabe perguntarmos, como exercício de reflexão, para que possamos organizar nossos pensamentos einternamente obter algumas respostas. 1) Como se deu o passo a passo do movimento político que resultou no Golpe de 2016? 2) Quais foram as finalidades políticas que se materializou-se através da classe política brasileira? 3) O que é essa radicalização política no País, como chegamos a um nível maior ainda de intolerância? 4) Quais os impactos da Reforma Trabalhista e destruição dos direitos anteriormente conquistados? 5) Quem são e como é composto o Machistério do (des)governo ForaTemer? 6) E, por fim, quais as intencionalidades internas e externas nesta perturbação política no Brasil e América Latina?

            Todas as atividades acontecerão no Campus da UNESP Ourinhos (manhã e tarde), neste espaço de tempo irá ocorrer as Oficinas, MiniCursos e Apresentações de trabalhos acadêmicos. E, durante a noite, a partir das 19:00 horas, elas aconteceram no Teatro Municipal Miguel Cury, no qual aconteceram aberturas com Atividades Culturais, como Peças Teatrais (Dramaturgia Conta Milton Santos, Dança Caminhos e Dança para a Noite) e Banda (Turvo Pardo Paranapanema), para que em seguida, seja dado início aos trabalhos em formato de Mesa Redonda e Palestras, todos recebidos de outras Universidades renomadas como UNESP – Marília, Prudente; UEL – Londrina e USP – São Paulo.

Será por meio deste encontro e desta reflexão que discutiremos a alegação de crime que se tornou mero subterfúgio para alcançar um objetivo político. Assim como em toda nossa história, o cumprimento do rito formal, com conteúdo deturpado, nos faz relembrar como em 1964. Neste sentido, será discutido a violência do Estado por meio da militarização, da criminalização das Lutas Sociais e da ampliação das desigualdades sociais. A belicosidade dos Estados, a crise econômica, desemprego, o avanço do conservadorismo. O golpe institucional e a dissolução dos direitos sociais no Brasil e na América Latina. Os conflitos socioespaciais em curso no século XXI impõem à ciência geográfica brasileira refletir o pensar e fazer geografia, assumindo o compromisso de analisar a realidade em movimento e atuar frente aos desafios que emergem. Pretende-se, portanto, uma análise ampla das variáveis intencionalidades externas que propiciou a perturbação do ambiente político interno e, por consequência, em toda região. Entender esses fatores não só brasileiros nos permite uma análise ampla, na medida em que a Geografia nos permite como instrumental critico, uma potente interpretação da realidade.

 

Observação: Faço aqui uma observação que é de suma importância de ser ressaltada. A universidade pública tem por objetivo de buscar respostas e atender a comunidade, no lócus de onde se encontra, sobre as principais questões que lhe são pertinentes. Por se tratar de ano eleitoral, percebe-se que ainda o fato político ocorrido provoca longos e calorosos debates sobre a materialidade jurídica, os propósitos políticos, a desestabilização da economia, o desemprego, o amplo ataque aos direitos dos grupos sociais, aos preconceitos de gênero, classe, ao racismo e de todas as barbaridades anunciadas que buscam o retrocesso político com seus respectivos veiculadores, verdadeiros representantes  das grandes corporações econômicas e do atraso.

 

Agradecemos também o apoio da TV Paranapanema por nos conceder entrevista ao vivo na sexta-feira, dia 24/08, e mais uma vez ao JornalContratempo.

 

Mais informações sobre o evento:

Site do evento: https://semanadegeografiau8.wixsite.com/golpe2016

Link do evento: https://www.facebook.com/events/213925535880409/

Página da XIV Semana de Geografia: https://www.facebook.com/semanadegeografiaunesp/?tn-str=k*F

 

Obrigado pela atenção dos leitores, curtam, convidem, compartilhem e confirmem presença neste evento!

 

Giuseppe Forioni Bragaia.

[1]http://contratempo.info/educacao/semana-de-geografia-da-unesp-de-ourinhos-tem-como-tema-o-golpe-de-2016-impactos-e-perspectivas-politicas-no-brasil-e-america-latina/

[2]http://contratempo.info/principal/xiv-semana-de-geografia-da-unesp-ourinhos-e-adiada/