UNESP Ourinhos promove encontro: Diálogos sobre educação e suas territorialidades

Weber Carvalho

Na urgência da formação de conceitos matrizes da Geografia, O grupo de Teatro CALATE (Cartografia Latinoamericana de Teatro) e o Movimento de Dramaturgia Rural propõe a pesquisa geográfica sobre território e territorialidade a fim de avaliar a conjuntura do estado brasileiro no tocante interno e externo, sob a perspectiva da obra de Paulo Freire, Augusto Boal, Milton Santos, Rogério Haesbaert, Melaine Klein, Michel Foucault e outros textos de apoio para a compreensão do território brasileiro e do mundo em seus paradigmas contemporâneos. Como ação desenvolver a prática, a criação e aplicação de jogos como apoiam a formação geográfica no ensino fundamental e médio.

O encontro tem por objetivo investigar de forma coletiva o papel das instituições de ensino e reguladores do saber hegemônico que se depara com a resistência do tradicional, e com valores conservadores que se tornam obstáculo para a própria hegemonia do capital. Países periféricos se apresentam como coadjuvantes, enquanto os protagonistas se desgastam nas instituições criadas para regular o bom senso. A crise dessas instituições é também a crise de todo saber científico que frente à onda conservadora se coloca com neutralidade como sempre o fez, mas essa posição assumida pode ter seus dias contados, pois se torna conhecimento o mesmo que informação para a grande maioria da população, que mistura tudo no mesmo conceito. O saber ensinado e o saber científico se emaranharam de tal maneira que o misticismo toma conta da ciência, não permitindo nem mesmo ao estudante do saber científico, capacidade de mensurar a realidade em uma perspectiva do pensamento geográfico.

PROGRAMAÇÃO            

SEXTA (30/11)

20:00 às 23:00 – ABERTURA

Apresentação sobre o encontro, sua abordagem e metodologia.

DIÁLOGO I  – “Território e as Questões de Gênero no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra” com a Adriana Novaes (Militante do MST, dirigente estadual pelo setor de gênero)

“Políticas Territoriais das Comunidades Indígenas e Quilombolas” com a Luciene Cristina Risso

Apresentação dos convidados e o que podemos prospectar para os temas que serão abordados pelos professores convidados da mesa e da programação do encontro em seus diálogos específicos.

Apresentação de todas as entidades da UNESP

23:00 – ENCERRAMENTO COM APRESENTAÇÃO DA BATUCADA RESISTÊNCIA

SÁBADO (01/12)

08:30 às 12:00 – OFICINA DE DRAMATURGIA RURAL com Benjamin Alves e Weber Carvalho: Trabalhar dividido em duas partes a oficina de Dramaturgia Rural.

Primeira parte – Apresentação das três técnicas utilizadas pelo Movimento: A Carta (dança), Fábula (dramaturgia), e Fórum com crianças (teatro do oprimido) conduzindo as montagens que serão realizadas pelos participantes do Encontro.

13:00 às 14:00 – ALMOÇO (na República Frida)

14:00 às 16:00 – DIÁLOGO II: “Território, é objeto de estudo da Geografia?” com o Paulo Cirino Mourão

“A inserção de regiões periféricas na América do Sul” com o Giuseppe Forioni Bragaia

16:00 às 16:30 – CAFÉ DA TARDE

16:30 às 18:30 – DIÁLOGO III: “Renda da Terra, com o Prof. Dr. Marcelo Dornelis Carvalhal e Rafael Costa E Silva UFABC”

18:30 às 19:30 – LIVRE

21:00 às 22:30 – APRESENTAÇÃO (na República Marola) “DRAMATURGIA CUENTA MILTON SANTOS”

23:00 – ENCERRAMENTO DAS ATIVIDADES

DOMINGO (02/12)

09:00 às 12:00 – OFICINA DE DRAMATURGIA RURAL (na Escola de Bailado – Sérgio Almeida Pereira Machado e Weber Carvalho)

Segunda parte – Continuação da oficina de Sábado

13:00 às 14:00 – ALMOÇO (na República Frida)

14:00 às 16:00 – DIÁLOGO IV: “Territorialidade no ensino-aprendizagem, saber científico e saber ensinado. com Rogério Borges (Rio Claro) Marcos Corrêa (Ourinhos)”

16:00 às 17:00 – REUNIÃO E ENSAIO DOS GRUPOS (café da tarde servido no local do ensaio)

18:00 – SLAM SUBVERSÃO com apresentação das cenas criadas nas oficias

21:00 – Cortejo de Encerramento com samba de bumbo