Desde 2008, Ourinhos é agraciado com as produções de Maikon Zambido

Conheça a trajetória do artista ourinhense que é produtor de conteúdo

 

Juliana Neves

 

Maikon Zambido, videomaker, 29, iniciou seu contato com a edição a partir dos 11 anos de idade, editando músicas do rádio. Realizava uma mistura de sons com a utilização da gravação das canções por fita tape. Já os desenhos, começaram a ser destaque a partir dos cincos anos, durante a época de parquinho. E em 2013, começou a fazer aulas de teatro, atuando em oito peças até 2019.

É considerado, por si mesmo, um artista sensível e talentoso que possui muita história até os dias de hoje. Afinal, desde a idade de 11 anos, muita coisa mudou em sua vida, mas o desejo em trabalhar com audiovisual foi crescendo, até que em 2008 Maikon começou a produzir vídeos para o Youtube como forma de diversão. Pois a sua alegria era produzir conteúdo em programas de edição de música, vídeo e desenho.

Maikon no estúdio do programa Eliana (Foto: arquivo pessoal)

No início, o canal era, praticamente, um depósito de vídeos caseiros experimentais de personagens e edição, com a participação de todos os seus irmãos: Luan, Jhessica e Jhenifer. O objetivo principal era a liberdade de expressão, mostrar o seu talento e ser famoso. “Digamos que consegui o que eu queria, porque apareci no programa da Eliana, no Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). Foi um grande momento, pelo menos para mim, deixou aquele menino Maikon bem realizado, mas hoje em dia não tenho tanto esse desejo de ser famoso, porém fico feliz quando meus vídeos ainda atingem bons views”, fala Zambido.

Maikon e seus irmãos em produção de vídeo (Foto: arquivo pessoal)

Em resumo, os seus vídeos são de humor satírico e crítico, sempre com experimentação cinematográfica porque a intenção é de uma expressão criativa, com roteiro que mostre a visão de mundo do artista, no caso, de Maikon.

O canal proporcionou ao artista o conhecimento de pessoas de todos os cantos do Brasil e de outros países, de modo virtual, além da oportunidade de poder viver de trabalho artístico em Ourinhos. Em razão do reconhecimento do público para com o seu trabalho, sempre tem cliente.

“Trabalho com produção de vídeos artísticos, comerciais, videoclipes, caricaturas, ilustrações, paredes de giz, tudo relacionado com o canal do Youtube. Batalho para conciliar as produções que geram a renda para viver e os vídeos para satisfazer-me”, conta o artista.

Maikon trabalha com arte em paredes (Foto: arquivo pessoal)

Ao ser questionado sobre de onde surgem suas inspirações, Maikon é assertivo dizendo que vem do nada, pois é uma pessoa muita observadora com as pessoas, as situações ao seu redor, os acontecimentos em mídias sociais, filmes, músicas e “minha família sempre curtiu meus trabalhos, desde meus desenhos quando era criança, os gibis, os vídeos e minhas atuações no teatro”, esclarece.

Aliás, Zambido gosta de sempre estar reassistindo seus vídeos para relembrar todo o processo de cada um, inclusive, o vídeo chamado “jogos mortais da vida real” é o que ele sente vergonha, porque avalia a sua atuação como forçada e equivocada. E o vídeo “pesadelo no trânsito” é um dos atuais e gosta muito por ter a sensação de que “acertou em cheio”.

Um dos vídeos preferidos do artista (Foto: arquivo pessoal)

 

Avaliação

Ao avaliar o seu canal no Youtube, desde o início até hoje-e já são 12 anos, a conclusão é de que passou por muitas fases boas e gratificantes. Mas sempre erramos em algum momento da nossa carreira.

“Acertei várias vezes, como a paródia do “Justin Bieber feito em animação”, a “Do maluco no pedaço”, minha versão de “Dois homens e meio”, paródias de música da Anitta. Meu erro foi não dar continuidade nas ideias que acertei, não explorar o que já havia dado certo, eu estava sempre apostando em coisa nova e ignorando os pedidos dos fãs para fazer mais vídeo de temáticas semelhantes dos que funcionaram. E, assim, fiquei desatualizado, não consegui me adaptar ao Youtube atual, mas, hoje, mesmo com menos frequência e menos views, ainda posto vídeos que gosto de fazer, ainda estou experimentando coisas novas, tenho foco mais no profissionalismo, experimentando novos estilos de filmagem, novos efeitos, novos equipamentos. Ourinhos aceita super bem meu trabalho, fico muito feliz que até hoje recebo muitos elogios e carinho das pessoas que conhecem meu canal e meus vídeos”, explica Maikon.

Capa criativa do canal do Youtube (Foto: arquivo pessoal)

Sendo assim, todas essas produções lhe proporcionaram ser visto por muitos com sua aparição no SBT, no Revista de Sábado-programa da TV Tem, o Tem Notícias-Jornal da TV Tem e ser matéria no G1.

São consequências consideradas as melhores em sua vida, e um dos motivos para a realização destes “15 minutos de fama” foi a divulgação do “Um caipira no pedaço”, o seu principal vídeo. O mais famoso e que recebe comentários até nos dias de hoje, além de já ter sido citado por humoristas em programas e ser trilha sonora de apresentação escolar de crianças com coreografia.

E a expectativa para o futuro é ser cada vez mais profissional e ganhar mais dinheiro, mais respeito e valorização.

 

Vídeos em destaque

Além do vídeo do caipira, há outros que receberam atenção e elogios, como a paródia da música “Bang” da Anitta, a paródia da abertura da série Friends chamada de “Cumpadis” e o “Dark Trap-Z-Maik” que foi um vídeo inspirado na série Dark.

Portanto, de acordo com Maikon, o vídeo do caipira foi feito para brincar sobre a visão distorcida que as pessoas da capital possuem sobre a nossa vida no interior do estado.

Imagens dos vídeos “Cumpadis” e ” Dark Trap Z-Maik” (Foto: arquivo pessoal)

Já a paródia com a música da Anitta, “surgiu da vontade de “surfar” na fama do clipe mais atual da cantora na época, e porque eu gostei muito do clipe da música “Bang”, achei diferente as animações interagindo com a cantora e pensei: “Opa, eu consigo fazer essas animações, vai ficar igual”. E a paródia do Friends, surgiu da vontade de “surfar” na ideia do meu vídeo “Um caipira no pedaço”, que em 2017 estava bombando de novo em grandes páginas do Facebook, e novamente funcionou”, explana Maikon.

Por fim, o “Dark Trap Z-Maik” foi inspirada no desejo de imitar o estilo da série Dark e no desejo de se atualizar, conversar com os jovens, além de resgatar as raízes do estilo musical rap. Toda a letra da música e melodia foi criada do zero por Zambido, fez um novo estilo para cantar e gravou o vídeo, editou o material e produziu efeitos especiais bem diferentes. Foram meses de produção e esperava uma repercussão maior, pois foi um conteúdo que deu trabalho e cansaço, mas ainda se sente feliz e realizado com o vídeo.

Sendo assim, “ainda quero produzir meu longa metragem, eu pretendia produzir esse ano, mas por conta da pandemia travei e na quarentena estudei bastante sobre cinema, filmagem, fotografia, roteiro, busquei bastante inspiração, estou me preparando, investindo em equipamentos de filmagem, realizando experimentos com vídeos novos para o Youtube. E no longa quero unir tudo: roteiro, meus desenhos, atuação, direção (experiência do teatro), fotografia e edição”, conclui Zambido.