Funcionários demitidos da UPA Ourinhos ainda não receberam o pagamento de rescisão de contrato

Ex-funcionário demitido pela troca de direção esclarece sobre a realidade após a perda do emprego

 

Juliana Neves

 

No dia 30 de março de 2021, nós, Jornal Contratempo, divulgamos a troca de direção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ourinhos. Esta mudança realizada por meio de licitação, a qual estava acontecendo desde o ano passado-segundo o prefeito Lucas Pocay (PSD) em live no Facebook e entrevista para um veículo televisivo, aproximadamente, de R$14 milhões. Sendo assim, a Organização Social (O.S) Pro-Vida foi substituída pela O.S Instituto Nacional de Ciências da Saúde (INCS).

 

PARA RELEMBRAR A TROCA DE DIREÇÃO, CLIQUE AQUI.

 

Esta troca de direção prejudicou 120 funcionários que foram desligados de seus cargos na empresa de modo surpresa, e são enfermeiras, auxiliares de enfermagem e equipe de copa e limpeza, por exemplo. Mas alguns foram recontratados.

Diante deste cenário, nesta semana, um dos ex-funcionários que trabalhava no UPA via O.S Pro-Vida nos procurou para relatar que até agora não recebeu a rescisão de contrato de trabalho e nem o pagamento do mês, sendo que a demissão foi realizada no dia 29 de março. Aliás, nem as pessoas recontratadas receberam o seu direito em relação ao contrato da O.S Pro-Vida. “Algumas pessoas estão com sérias dificuldades para sobreviver em relação as contas de aluguel, água, luz. Tenho amigos pedindo ajuda até pela internet para conseguir outro emprego, pois dependiam deste trabalho. E entrei em contato com o Sindicato da Saúde e a resposta foi que o pagamento está em juízo e não temos data determinada para a liberação do dinheiro.”, relata o munícipe.

Inclusive, de acordo com o ex-funcionário, a informação passada para as pessoas desligadas é que para garantir o pagamento o Sindicato entrou com uma ação e está em aguardo da Ordem Judicial. Além de que sabiam da realização de um processo seletivo da nova empresa, porém não sabem qual foi o critério da avaliação dos candidatos.

“Apesar da existência dessa seleção, foi passado para todos os funcionários que lá estavam, que ninguém seria demitido, que era para ficarmos tranquilos. Na segunda feira, 29 de março, 120 pessoas foram demitidas. Algumas foram recontratadas pela outra empresa, pois passaram no processo seletivo, mas há muitas em situação de desemprego”, finaliza o ex-funcionário.

 

Imagem: site Prefeitura Municipal de Ourinhos

Juliana Neves

Escrevo com a intenção de mudar o mundo ofertando a verdade para a sociedade. Mas a luta é diária e constante, realmente, vivendo e aprendendo e tendo o jornalismo como meu aliado.