O hobby fotográfico que está ganhando destaque em Ourinhos

Rafael afirma que fotografia é um hobby e suas principais imagens são da natureza

 

Juliana Neves

 

Rafael Béccheri Cortez é engenheiro agrônomo e especialista em gestão ambiental em manejo florestal, sócio ao lado de sua esposa, Viviane Silvestre Cortez, da Flora Espaço Verde, desenvolve projetos de paisagismo e sistemas de irrigação em Ourinhos desde 2002 e pai de Helena. E, apesar de trabalhar na área ambiental, o seu hobby é fotografar e suas fotografias estão sendo reconhecidas cada vez mais no município.

Esta é uma relação antiga, desde quando era criança quando comprou um quadro grande de uma paisagem, no Mercadão Municipal. Praticamente, o quadro era de seu tamanho e foi a pé com o quadro na mão até a casa de seus pais, localizada próxima ao Parque Ecológico. Com isso, veio a vontade de manusear uma câmera, assim poderia reproduzir belas paisagens.

“O equipamento fotográfico sempre me atraiu. Fiz questão de comprar um filme preto e branco para usar na câmera da minha mãe quando era adolescente. A primeira câmera digital que tive oportunidade de manipular pertencia a antiga Duke Energy, as fotos eram gravadas em um disquete. Fiz um estágio lá em 2002 e utilizava ela para registrar os trabalhos na piscicultura e no Rio Paranapanema. Tive duas digitais e adquiri uma câmera super zoom para fotografar pássaros, em 2010. Já visitei nove estados fazendo birdwatching e isso ainda vai longe”, fala Rafael.

Rafael gosta de manusear a câmera fotográfica desde criança (Foto: arquivo pessoal)

Desta maneira, a fotografia significa lazer, diversão, aventura e terapia para o aspirante a ser fotógrafo. E considera que com suas imagens ele está praticando a arte ao empunhar a câmera, como se estivesse armado com uma arma do bem.

Todas suas fotografias são da natureza. Pelo motivo, segundo Rafael, da natureza ser muito bela, e se aprofundarmos na contemplação é possível enxergar detalhes que nos fazem entender melhor sobre o funcionamento do planeta. Este é o conceito norteador do trabalho de Béccheri.

“Prefiro fotografar lugares onde a natureza está preservada.  A natureza está passando apertado na mão do homem e isso não é papo de “ecochato”. Quem nega isso é porque não dispõe de conhecimento técnico sobre o assunto. Vou aproveitar enquanto tenho vitalidade para conhecer as belezas que não foram destruídas ainda e divulgar as fotos para sensibilizar as pessoas sobre a importância de se preservar a natureza. Gosto de fotografar a água em movimento (rios, corredeiras, cachoeiras). Plantas, pássaros, o sol, a lua, as estrelas e as nuvens também fazem parte da minha lista de preferência. A mistura destes elementos produz belas fotos. Gosto de fotografar a natureza porque gosto de estar em contato com ela. Tem sempre uma estrada de terra, uma caminhada, um banho de rio, um canto, uma planta para identificar. Fazer registros de eventos não me atrai muito. Mas preciso reavaliar isto. Mesmo que não sejam produzidas foto espetaculares, os registros dos momentos são importantes para a preservação das nossas memórias”, explica Rafael.

Sua paixão é fotografar a natureza (Foto: arquivo pessoal)

 

A fotografia, desde o seu primeiro contato com estas produções até hoje, proporciona motivação para correr atrás do sol se for preciso, fazer uma trilha noturna, caminhada longa até a cachoeira. Bem como abre oportunidade para contatos sociais, pois, de acordo com o engenheiro, as portas vão se abrindo para novos caminhos e novas amizades.

Todo trabalho que é feito com muito amor e carinho recebe elogios, que é o caso de Rafael, que recebe comentários do público e de seus amigos. Sendo que suas fotografias sempre é o primeiro assunto de roda de conversa.

Rafael não se considera profissional, mas uma pessoa que estuda para aprimorar o que tanto gosta de colocar em prática. Por isso, atualmente, estuda fotografia em escola profissionalizante, tendo como professor o fotógrafo profissional de Ourinhos Ricardo Carnaval. Além de estudar em casa as letras miúdas de manuais de câmera.

A cada dia, Rafael busca estudar para aprimorar suas fotografias (Foto: arquivo pessoal)

Já em uma avaliação pessoal, do Rafael do início e o de agora, “a fotografia faz parte do pensamento diário do Rafael. O Rafael agora tem um pouco de técnica. Ele é motivado pela fotografia. E quero continuar aprendendo, fazer viagens em busca da fotografia, ter uma foto premiada, desenvolver a Fine Art, comercializar uma foto para decoração seria muito legal, faríamos o paisagismo por fora e colocaríamos uma foto dentro da casa de um cliente”.

Por fim, avalia iniciar produções fotográficas em outras vertentes, mas com fotos da natureza de carro chefe, porque a natureza é paixão. Desta forma, pretende transitar por fotografias em ambiente urbano, ambiente rural, arquitetura antiga, cenas do cotidiano, eventos e está em fase de experimentação produzindo retratos.