Quarentena coloca em risco sobrevivência da AMO- SIM

O presidente da Associação Mirim de Ourinhos e Serviço de Integração de Meninas, Max Jardim Arce, emitiu comunicado na tarde desta quarta-feira, 8, em que informa que os adolescentes que atuam em empresas e na prefeitura receberão seus pagamentos nesta quinta-feira, 9. Max aguarda posição da Prefeitura e liberação de aporte de R$65 mil.
Com a paralisação do comércio de Ourinhos para conter a pandemia do novo coronavírus, a Associação Mirim de Ourinhos e Serviço de Integração de Meninas (AMO-SIM) está com extrema dificuldade para honrar os pagamentos dos jovens, que atuam nas empresas, na Prefeitura de Ourinhos e na Zona Azul.

O presidente da entidade, Max Jardim Arce, emitiu comunicado na tarde desta quarta-feira, 8, em que informa que os adolescentes que atuam em empresas e na prefeitura receberão seus pagamentos nesta quinta-feira, 9, mas a AMO-SIM não terá como pagar o jovens que trabalham nas ruas da

Max destacou ainda, que pelo menos 75 adolescentes serão prejudicados e ele aguarda uma posição da Prefeitura de Ourinhos, que terá que intervir concedendo um aporte de até R$65 mil, valor necessário para realizar os pagamentos.

“Nós temos 116 jovens que atuam nas empresas e na Prefeitura e os valores deles foram pagos tanto pelos empresários, como pelo município, mas quem trabalha na Zona Azul não tem como pagar, pois depende da venda dos talões, que tem uma arrecadação de cerca de R$15 mil semanais e este mês não teve”, destacou o presidente da AMO-SIM, que aguarda também a liberação de um empréstimos para conseguir pagar pelo menos todos os jovens que atuam nas empresas e na Prefeitura.

“Eu dependo ainda da liberação de um empréstimo de R$20 mil para completar e pagar estes jovens (da Prefeitura e das empresas) amanhã (9), mas se não sair a liberação, vou ter que pagar só os adolescentes das empresas e quem trabalha na Prefeitura terá que esperar também”, alertou.

Max ainda teme pelo futuro da Associação que não terá como pagar os funcionários no próximo mês se a situação de quarentena for mantida.

FONTE: Passando a Régua