Quentinhas da Semana

Aliança eleitoral??

Causou surpresa e curiosidade o encontro “casual” entre o presidente do diretório municipal do PT em Ourinhos , Toninho do PT e o presidente dos Eletricitários de Ourinhos e região, André Paladino, há alguns dias atrás em uma região da cidade. Paladino deve ser novamente candidato a vereador nessas eleições, o que nos faz pensar que o encontro não foi “mero acaso” mas talvez o início de conversas visando uma possível aliança eleitoral para outubro desse ano.  Mas isso, só o tempo dirá se é ou não, ou até mesmo se a tal aliança ” vingará”.

Efeito UPA

Parece que causou grande preocupação no staff do prefeito Lucas Pocay, a repercussão negativa do áudio vazado que revelou uma conversa entre o então diretor da UPA dr. Jan Chryslen Silva da Costa e a médica Dra. Valeska Abud que foi recentemente demitida da Unidade de Pronto Atendimento.  A frase proferida pelo Dr Jan de que ” só interna se for morrer” chocou a todos ourihenses, até mesmo os mais ardorosos defensores da atual gestão.  Foi sintomática a longa “live” feita pelo prefeito no mesmo dia que o áudio bombástico veio a tona sendo pauta de reportagem inclusive da TV TEM, além dos principais veículos de comunicação de Ourinhos. O grande temor é que o desgaste da UPA possa respingar no prefeito e atrapalhar sua reeleição, até pouco dada como certa até pelos seus opositores.

Manifestação na Câmara

O efeito do áudio vazado e que foi fruto de uma conversa entre a Dra Valeska e dr. Jan, foi sentido prontamente nas redes sociais e desde então se iníciou um movimento pelo retorno da médica, considerada por todos os usuários da UPA, uma das melhores profissionais da Unidade de Pronto Atendimento. No sábado, 29, houve uma manifestação em frente à UPA, protestando conta sua demissão e pedindo seu retorno.  Nessa segunda- feira, 03, nova manifestação será realizada, dessas vez na Câmara Municipal e que contará com a presença da Dra. Valeska. O fato é que esse movimento coloca a prefeitura numa saia justa, já que fica claro que a médica foi demitida por não se submeter as imposições feitas pelo diretor da UPA e que prejudicavam o bom atendimento aos pacientes. Como irão justificar que sua demissão não será revista, já que quem a promoveu acaba de ser afastado pela gestora Pró Vida, após pressão  da prefeitura, que enviou ofício solicitando providências em relação a conduta do profissional na direção da UPA.