Artigo: “Caio ou não Caio, Bolsonaro caiu de vez” – Por Pedro Saldida

“Caio ou não Caio, Bolsonaro caiu de vez”

Quando se fala nos corredores da política que Caio Lima em breve será descartado, porque não conseguiram reunir o total apoio, também pela falta de carisma de um Candidato que iria seguir a política que está no poder atualmente, antes de ele ir gostaria de escutar da sua voz se concorda com o que vivemos atualmente na nossa Cidade. Queria ouvir sua opinião sobre a Praça do Ourinhense, queria escutar sobre a visita dos Prefeitos da região a Brasília, no âmbito da Saúde, e a nossa Cidade não estar representada porque já não faz parte do UMMES. Queria saber o que ele pensa do estado de decomposição da Rodoviária de Ourinhos, ou do estado em que se encontram muitas Escolas.

Iria querer saber se ele concorda com a posição dos Vereadores da base da Gestão em recusar o requerimento da Vereadora Roberta Stopa para apurar sobre a verba cancelada para organização da Fapi e uso da verba para cirurgias eletivas. Em Fevereiro de 2023 o Governo Federal destinou R$600 milhões para Estados e Municípios com vista a redução de cirurgias eletivas, exames e consultas. Estranho cancelar a Fapi e dizer que a verba seria para cirurgias eletivas, quando no mesmo ano o Governo Federal toma tamanha decisão. Agora ao não permitir, e o Prefeito vai dizer que não é ele, mas infelizmente sabemos bem como funcionam os meandros da Política, a Gestão está mostrando que algo não está certo, que algo não está legal.

Caio Lima foi lançado sem precisar de elaborar sequer um programa de governo. O argumento é só um, deixa continuar que está bom. Mas o bom é um termo relativo, depende de quem interpreta. Caio concorda com o pagamento parcelado do reajuste e retroativo aos servidores públicos? Caio concorda com a má gestão de grande maioria das Secretarias? Então se Caio concorda e é a continuidade podemos facilmente entender que será a destruição de políticas públicas. A Secretaria da Educação reclamava e continua reclamando que o dinheiro do Fundeb não chega, já escrevi sobre isso, não diminuiu, até aumentou, e podemos ver que provavelmente estará sendo mal gerida. Mas é mais fácil culpar os outros, que assumir nossos defeitos, tem sido sempre assim nesta Gestão. A culpa nunca morre solteira mas nunca é culpa ou erro deles. Os outros são ruins, são maus, são da oposição, não querem o desenvolvimento da nossa Cidade, só prejudicam o bem que a Gestão quer para a Cidade.

O que mais estou gostando de assistir, e de camarote assumo, é cargos já cuidando das suas vidas, sabendo que a Gestão não vai reeleger Caio Lima. Uns viram a casaca e apoiam outros candidatos, outros vão dar aulas para Colégios, outros ainda voltando para as suas funções. Espero bem que voltem porque Secretaria de Educação gosta muito de exaltar a Educação no nosso Município mas não consegue resolver a falta de servidores. Grande maioria desviada de função leva a que escolas tenham somente um auxiliar de serviços gerais, é só consultar o Portal da Transparência e ver quantos Inspetores, Auxiliares de Serviços Gerais e outras funções estão em cargos comissionados. Mas não importa o dia a dia nas Escolas e nos serviços de Saúde. Importa antes lutar para se manter no Poder porque conseguem sempre contar histórias fantasiosas para mostrar que está tudo bem em Nárnia. Em Ourinhos não, mas em Nárnia sim.

Av. Paulista, 25 de Fevereiro de 2024 se mostrou ao mundo que o Brasil não vive uma Ditadura. Tudo porque o STF permitiu que um golpista fizesse uma manifestação com seus apoiadores. Silas Malafaia injetou R$100 mil para financiar o ato. Dei risada porque alugou o carro alegórico usado na parada LGBT, na mesma semana em que a Polícia Federal perguntou no depoimento se Bolsonaro era Cis. Eu sei que é uma pergunta de rotina atualmente da PF, até mesmo por causa da Inclusão, mas perguntar no depoimento e ele discursar no carro LGBT me deu muita vontade de rir.

Acompanhei a par e passo o dia da Manifestação e lembrei o real motivo da mesma. Segundo Bolsonaro ele queria se defender das acusações que tinham contra ele, não são acusações levianas, convenhamos, mas a meu ver se queria tanto lutar por sua defesa porque razão no depoimento da PF só respondeu ao questionamento de ser Cis. Porque na Polícia Federal poderia entrar em contradição com as delações premiadas e as provas que juntaram contra ele. Na Av. Paulista bastava somente ser um cordeirinho para manter a massa do seu lado, mas deu para perceber que ali estava  uma pessoa acuada e conhecedora do seu final logo que todas as provas sejam conhecidas.

Bolsonaro só se limitou a fingir ser bonzinho e cuidou muito bem das palavras que proferiu, mas a meu ver cometeu algumas gafes. Quando afirmou que golpe eram tanques na rua, foi infeliz. Já não estamos em 1964, não precisa ser disparada uma única bala para o golpe se dar( em 1964 também não). Quando Bolsonaro fala da minuta de decreto de Estado de Defesa, aí se complicou. As provas estão ai, tem vídeos, tem mensagens. Afirma no seu discurso que Estado de Sítio começa com o Presidente da República convocando os Conselhos da República e Defesa. Não convocou porque muitos foram contra o golpe. Depois afirma que a proposta tem que ser enviada para o Parlamento. Será por isso que o nome de Rodrigo Pacheco estava no pedido de prisão, e o de Arthur Lira não? Será que estava arquitetado com a Câmara dos Deputados algo que não sabemos?

Não entrando no quesito das provas já na posse da Polícia Federal, entro no tiro no pé do dia que foi hoje. Digo isto porque Bolsonaro não conseguiu encher três quarteirões da Av. Paulista. A Av. Paulista tem 18 quarteirões e nem três encheu. Bolsonaro precisava desta manifestação e o STF permitiu para que o fanatismo começasse a se esvaziar.

O que mais me dá vontade de rir é ver Bolsonaristas com a Bandeira de Israel. Carregam a Bandeira de um País que pratica o Judaísmo, o aborto é legalizado, permite o uso de maconha e tem a maior parada LGBT do Mundo. Insanidade que fala, ou falta de conhecimento de História?

Terminando de escrever esta vossa crônica, são 22h e fui lá fora na rua olhar e observar. Nada mudou, continuamos a viver em Democracia, Lula continua Presidente, e o Bolsonarismo sozinho se prejudica e é sua única oposição.

Sobre as palavras proferidas por Lula comparando a guerra de Israel contra a Palestina ao Holocausto acredito que não possa ser comparado, mas o genocídio está por demais evidente. Tudo que Israel tem feito é dizimar um povo que não tem culpa nenhuma por ter um grupo terrorista no seu território. Tal como o povo Israelense não tem culpa e sofre ataques do Hamas.

Não me vou alongar muito sobre o assunto, só quero lembrar o discurso de um Padre Luterano que falou que se não vemos o genocídio praticado por Israel então a Humanidade não habita mais dentro de nós. O pecado e a escuridão abraçaram o coração daqueles que usam falácias ao invés de ver a realidade e a verdade.

O Senador Omar Aziz, filho de Palestino, falando com muita propriedade pediu a Rodrigo Pacheco para tipificar o que seria a morte de 30.000 pessoas, mulheres e crianças incluídas, pediu para tipificar o que seria enviar as pessoas para o gueto. As pessoas só enxergam o que querem. Não conseguem ter uma análise crítica, quanto mais inteligência para ler um pouco sobre algo e não sair opinando falácias.

Todas as forças extremistas no Mundo são sempre financiadas por outros Países com interesses Econômicos sobejamente conhecidos. Lula nunca falou que o Hamas não era um grupo terrorista. Lula sempre criticou o Hamas. Aliás acrescento que Lula foi o único capaz de falar o que realmente acontece na Faixa de Gaza, e tanto é que já temos cerca de 100 países comemorando e aplaudindo em silêncio a fala do Presidente do Brasil.

Quem defende Bolsonaro vai falar que as relações econômicas com Israel podem terminar. As relações comerciais só ficarão prejudicas se a crise diplomática continuar só os investimentos poderão ser afetados.

Ah e Netanyahu já não poderá vender o Pegasus, o tal software espião que foi usado para espionar celulares e computadores de jornalistas e críticos de governos ao redor de todo o Mundo, em que Carlos Bolsonaro era tido como parte no processo de negociação, o filho de um Presidente da República sem cargo no alto escalão do Governo e que deixou de fora das negociações a Abin e o GSI.

Hamas, Al-Qaeda, Hezbollah, Jihad são Organizações Terroristas que contam com apoio financeiro e bélico de países como os Estados Unidos, Irã, Líbia, e por aí fora, um sem número de países que desejam obter vantagens para estas estúpidas, mortais e sanguinárias guerras.

Para finalizar deixo-vos desta vez com uma frase de Lewis Carrol, no livro ‘Alice no País das Maravilhas”:

“Aonde fica a saída?”, Perguntou Alice ao gato que ria.
”Depende”, respondeu o gato.
”De quê?”, replicou Alice;
”Depende de para onde você quer ir…”

Pedro Saldida é bacharel em administração e servidor público

 

 

 

 

 

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info