Arte e cultura são a alma do ourinhense Cicero de Pais

Conheça a história do artista que tanto contribui para o crescimento cultural de Ourinhos

 

Juliana Neves

Cicero de Pais nasceu em 1954, no Paraná e reside em Ourinhos desde 1980, é casado e é pai de Aline, Kelly, Clarice e Douglas. Um homem com uma vasta bagagem cultural, o qual contribuiu para o desenvolvimento artístico do município, que sobrevive da arte pintando faixas, cartazes, fachadas, desenhos, entre outros materiais. E declara para quem quiser ouvir, que gosta da profissão e se diverte trabalhando.

Uma das vertentes artísticas que Cicero possui envolvimento é o teatro. Desde o ensino fundamental, já gostava de ler textos poéticos e de contos de fadas. E a partir do ensino médio começou a participar de grupos de teatro.

“Ler a obra de Shakespeare, Nelson Rodrigues, Millôr, Moliére e outros grandes autores, foi o caminho para que eu pudesse amar a literatura e as artes cênicas. Uma boa peça de teatro transcende os limites da realidade e atores e o público, durante o espetáculo, são partes de um mundo mais lúdico, viável e sereno”, fala Cicero.

O Incena-Teatro & Cia, que está em atividade em Ourinhos desde 1986, é o seu legado teatral para a cidade, que busca incentivar, cada vez mais, a arte e cultura entre os ourinhenses. É um projeto que produz peças infantis e espetáculos para o público adulto. Segundo Cicero, também são realizadas feiras de arte, saraus, exposições de artes plásticas e lançamentos de livros.

Registros de diferentes épocas do projeto Incena – Teatro&Cia (Fotos: arquivo pessoal)

O Concurso de Poesias também faz parte do Incena. Atualmente, encontra-se na décima terceira edição, tendo a primeira edição promovida em 1998 em parceria com o Colégio Etec “Jacinto Ferreira de Sá”. “Os participantes são poetas de Ourinhos e região, além de poetas de outros estados brasileiros e, até mesmo, de outros países, como Japão e Portugal, que quando inscritos nos encantam com ótimos textos. A expressão, através da literatura, diz muito sobre a época em que vivemos”, explica Pais.

 

Portanto, em avaliação futurista cultural ourinhense, o desejo é que os artistas tenham sempre o apoio que merecem e que lutem contra a exclusão cultural. Pois Ourinhos possui muitos cargos de confiança na secretaria de cultura e, em consequência, quase nada de investimento para que os artistas, de modo independente, expressem-se de arte em todas as manifestações possíveis.

Contudo, a arte para Cicero é um hobby, ao contrário de outros que preferem a pesca ou futebol, por exemplo, ele gosta é de escrever, pintar e assistir ou participar de peças de teatro. Afinal, de acordo com o artista, com a arte não morremos de tédio. Sendo assim, apesar de ser considerado um excelente poeta por muitas pessoas, Pais afirma não ser poeta, mas os versos da poesia permitem a compreensão da vida de forma mais intensa.

E em uma reflexão pessoal, “na minha idade, o futuro deixa de ser preocupação. Vivo o presente. Cada manhã é uma dádiva e toda noite é uma oportunidade para sonhar com dias melhores”, finaliza Cicero.

 

Imagem destaque: Mídia Social Cicero de Pais

Juliana Neves

Escrevo com a intenção de mudar o mundo ofertando a verdade para a sociedade. Mas a luta é diária e constante, realmente, vivendo e aprendendo e tendo o jornalismo como meu aliado.