Escola estadual Prof. Dalton é um dos destaques no IDESP 2019

Diretor Junior e a professora coordenadora Italita

Foram divulgados na semana passada, os resultados do IDESP 2019, índice estadual que mede o aproveitamento escolar dos alunos dos ciclos inciais entre o 2º ano e 5º ano do Ensino Fundamental, e uma das escolas de Ourinhos com melhor aproveitamento foi a Prof. Dalton Morato Villas Boas, localizada na Vila Musa.  A escola obteve o índice de 6,58, superior ao IDESP de 2018 que foi de 5,56 e bem maior que a média estadual deste ano, que foi de 5,55.

Em entrevista ao Jornal Contratempo, o diretor da escola Jayr Conti Junior, que ocupa o cargo desde março de 2019, nos contou as ações principais que levaram a este bom resultado. “O índice do IDESP se mede pelo aproveitamento escolar subtraído do fluxo de alunos reprovados ou evadidos, e neste aspecto, também tivemos um índice positivo, graças ao trabalho que chamamos de busca ativa, que é o acompanhamento diário desde o início do ano, dos alunos que faltam as aulas de forma consecutiva. Com este trabalho,  nós monitoramos os alunos que estão faltando e já entramos em contato com os pais, que passam a ser corresponsáveis pela frequência de seus filhos, evitando assim que sejam reprovados por falta, ou acabem abandonando a escola, além de garantir que com a presença constante em sala de aula, possam ter um melhor aprendizado e por consequência, tenham desempenho melhor no IDESP”, explicou.

De acordo com Junior, o trabalho em conjunto da direção, com os professores e alunos foi decisivo para a evolução no IDESP em 2019, além da aprovação de mais de 80% dos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental que prestaram o Vestibulinho da ETEC. “Desde que assumi a direção da escola, procurei estabelecer uma boa relação com os professores, incentivando-os e valorizando seu trabalho, além de estar mais próximo no dia a dia, dos próprios alunos, que estão acostumados a ver o diretor como uma autoridade inacessível. Para tanto, eu costumo fazer chamada pessoalmente nas salas de aula e estabelecer um contato direto com eles, com isso, sei o nome de cada um deles, criando um vínculo pessoal que os faz sentir acolhidos e valorizados, tanto por mim quanto pelos professores. Sempre digo aos professores que assim como eles desejam ser bem tratados pela direção, é muito importante que os alunos também se sintam dessa forma, pelos professores, e realmente conseguimos neste período criar essa relação próxima, e que refletiu sobre o excelente trabalho feito pela professora coordenadora Italita Galvani,  pela professora Fátima Aparecida Costa Roque,  pela professora de Matemática,  Letícia de Moraes,  de Português, Margareth Ferrari,  bem como toda equipe docente,  que viabilizou a consequente evolução do desempenho dos alunos, algo demonstrado de forma prática no índice do IDESP, em que tínhamos a meta inicial de atingir pelo menos 5, 57 e tivemos o índice surpreendente de 6,58, nos deixando muito felizes e com muita motivação para este ano, trabalhando firme para manter ou até superar este índice”, ressaltou.

Professora Fátima Aparecida Costa ao lado dos alunos da escola estadual Dalton Morato Villas Boas

Importância do trabalho

Segundo o diretor, é importante ainda analisar o contexto em que a escola está inserida pela sua localização e realidade do bairro.  “Em 2018, a Escola já ultrapassou a meta, obtendo um índice de 5,56. Com o trabalho realizado em 2019, obteve um resultado ainda melhor, novamente ultrapassando a meta e chegando a 6,58.  Por isso há que se considerar o contexto socioeconômico da escola ao se avaliar o tamanho do impacto e da relevância que um indicador dessa magnitude tem.  Entendo que a verdadeira escola democrática é aquela que oportuniza meios para que os estudantes disputem seu espaço no mundo adulto, em situação de igualdade. Considero  também que nem todos terão o mesmo resultado na linha de chegada, mas devemos proporcionar as mesmas condições no ponto de partida. A democracia na escola se dá  quando, através da qualidade dos serviços públicos e gratuitos prestados, proporcionamos meios do estudante alcançar seus sonhos. É muito complicado tratar de números quando se lida essencialmente com pessoas, mas eles (os indicadores), são uma ferramenta poderosa para apontar um caminho e auxiliar na aferição quantitativa do trabalho realizado. Não se atinge bons resultados da noite para o dia, e nem existe fórmula milagrosa que por si só, dê  conta das demandas de uma escola. O que se tem é muita dedicação e trabalho duro, foco e metas claras, equacionando, dos problemas mais elementares até os mais complexos. Tratar a todos com respeito, dignificando as relações, construindo e estreitando laços, eleva a qualidade do clima institucional, e isso também se reflete em resultados”, concluiu.

A professora coordenadora Italita também ressaltou o trabalho feito junto aos alunos. “Vimos de uma história de muito trabalho e amor nessa escola. O resultado é um reflexo do conjunto de forças canalizadas em direção do mesmo objetivo, que é formar integralmente nosso aluno. Diante das dificuldades, nossa vocação sempre se sobrepõe e, acredito fortemente, que com o amor a frente de tudo e muito trabalho,  somos capazes de superar as adversidades”, destacou.

O que é o IDESP?

O Programa de Qualidade da Escola, com o objetivo de  promover a melhoria da qualidade e a equidade do sistema de ensino na rede estadual paulista, com ênfase no direito que todos os alunos da rede pública possuem: o direito de aprender com qualidade avalia anualmente cada escola estadual paulista de maneira objetiva, a fim de acompanhar a qualidade do serviço educacional prestado, e propõe metas para o aprimoramento da qualidade do ensino que oferecem, a partir do IDESP (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo) – indicador que mede a qualidade das escolas. O programa cumpre o papel de apoiar o trabalho das equipes escolares no esforço da melhoria da educação e de permitir que os pais de alunos e a comunidade possam acompanhar a evolução da escola pública paulista. Esta nota técnica apresenta as formas de cálculo do IDESP, do Índice de Cumprimento – IC, do Adicional por Qualidade – IQ, do Índice de Cumprimento de Metas – ICM, e do Índice de Nível Socioeconômico – INSE.

A metodologia utilizada no cálculo do IDESP permite que a escola acompanhe sua evolução de ano para ano. Assim, o IDESP tem o papel de dialogar com a escola, fornecendo–lhe ao mesmo tempo um diagnóstico que aponte suas fragilidades e potencialidades e um norte que permita sua melhoria constante.

Professora coordenadora Italita ao lado dos alunos do 9º ano aprovados na ETEC

Alunos aprovados na ETEC

No último vestibulinho da ETEC para cursar o Ensino Médio regular foram aprovados os seguintes alunos do nono ano da escola estadual Dalton: Luís Fernando da Silva (2º lugar), Alan Carlos de Faria (25º lugar) e Gustavo Nascimento Petreca e Julia Cristina Aparecida Pereira ( ambos no 33º lugar e que irão cursar o Ensino Médio regular e também farão o Curso Técnico de Mecânica)