Campus da Unesp Ourinhos corre risco de fechamento

A reportagem do Contratempo recebeu informações na tarde dessa segunda-feira, 18, que devido a baixa procura e consequente sobra de vagas disponíveis  para o curso de Geografia na Unesp de Ourinhos, está suspenso o oferecimento de novas vagas para o ano de 2021. Também está em análise o possível encerramento do Curso no Campus Ourinhos, com o direcionamento dos alunos que estão cursando a disciplina para outros Campus da região que possuem o Curso de Geografia.

Segundo informações obtidas pela reportagem, o assunto foi debatido por uma comissão  docente que aprovou possíveis medidas a serem estudadas. As medidas foram  divulgadas através de uma carta datada do dia 06 de fevereiro deste ano.

Em contrapartida, alguns servidores da Unesp Ourinhos elaboraram uma carta (veja integra abaixo) em que contestam os dados apontados, como a baixa ocupação das 90 vagas disponíveis hoje pelo Curso de Geografia, já que segundo eles, após a inserção do Enem no ano passado, aumentou a ocupação de vagas para cerca de 95% do total oferecido.  Outro ponto questionado é em relação a evasão de alunos do Curso, que de acordo com eles,  está bem abaixo do índice de evasão dos Cursos de Geografia nas Universidades Federais.  Foi questionado a não participação dos servidores nas discussões de sobre o futuro das instituições, que lembram que a grande maioria são de Ourinhos e possuem vida estabelecida e desejo de permanecerem na cidade.

Por fim, na carta direcionada a reitoria da Unesp, é solicitada a retirada dos itens da suspensão de vagas para o Curso de Geografia em 2021, assim como o possível encerramento do Curso no Campus Ourinhos.

Pedem ainda, espaço para discussão e efetiva participação de docentes e servidores do Campus, bem como da própria Comunidade local, para que seja colocado propostas que visem fortalecer o Curso de Geografia no Campus Ourinhos e evitar assim, um possível encerramento do mesmo, fato que segundo eles, traria um prejuízo irreversível  à todos.

Vale lembrar que na ocasião da inauguração do novo Campus da Unesp Ourinhos havia a intenção da implantação do Curso de Arqueologia, fato que não se consumou, bem como da implantação do Curso de Direito, que chegou a ser apresentado por várias autoridades com apoio da OAB Ourinhos,  como uma tentativa de fortalecimento do Campus, mas que acabou não sendo levado adiante pela reitoria do Campus Ourinhos.

Veja abaixo a íntegra da Carta dos Servidores do Campus da Unesp Ourinhos elaborada após  reunião realizada no dia 13 de abril:

Ourinhos, 14 de abril de 2020.
Assunto: Manifestação dos servidores técnicos e administrativos do Câmpus de Ourinhos em relação ao item 3 da pauta da Sessão Ordinária da CCG do dia 16/04/2020.
À Senhora Prof.a Dr.a Gladis Massini-Cagliari Presidente da Câmara Central de Graduação (CCG) da Unesp
Aos Senhores Conselheiros da Câmara Central de Graduação (CCG) da Unesp
Senhores Conselheiros,
Após tomar conhecimento do disposto no item 3 da pauta da Sessão Ordinária do dia 16/04/2020, da Câmara Central de Graduação (CCG), o corpo técnico administrativo do Câmpus Experimental de Ourinhos, em reunião realizada em 13/04/2020 com a presença de dezessete servidores (relacionados abaixo), definiu por elaborar o presente documento e enviá-lo aos membros desse órgão colegiado.
Trata-se o presente de resposta à Informação no 023/2020-Prograd, que buscou analisar e fornecer subsídios a respeito das “propostas apresentadas” pelo Câmpus de Ourinhos, contidas nos documentos intitulados “Carta do Conselho de Curso de Geografia” e “Carta da Comissão Mista do Câmpus de Ourinhos”. A respeito do assunto, temos a relatar o que segue:
Conforme relatado na primeira carta, o Conselho de Curso chamou APENAS os docentes para essa conversa, que ocorreu em 29 de janeiro do corrente ano.
Dos quatorze docentes da Unidade, onze compareceram e decidiram UNANIMEMENTE elaborar o citado documento, datado de 06 de fevereiro de 2020.
Entretanto, verifica-se que o documento é assinado apenas pelos Coordenadores de Curso e Executivo e não há especificação de quais são os onze docentes que participaram desta reunião. Da mesma forma, não há menção quanto à apresentação e aprovação desta carta no Conselho de Curso e/ou Diretor, órgãos colegiados desta Unidade. Entendemos, de acordo com os Artigos 6o e 11 da Resolução Unesp no 38/2008, que estabelece a estrutura organizacional dos câmpus experimentais da universidade, que assuntos de tamanha importância para o futuro do curso de Geografia e do Câmpus de Ourinhos devem obrigatoriamente ser pautados e aprovados por esses colegiados, já que questões também essenciais, mas que não dizem respeito à continuidade do curso e da existência do câmpus, tais como a definição do número de
vagas a serem oferecidas nos vestibulares e as propostas de alteração e reestruturação curricular, são de competência dos órgãos supracitados.
Continuando, constou no documento que os onze docentes resolveram criar uma comissão mista, “composta também por servidores técnicos e administrativos, para discutir a respeito de propostas para o uso e/ou ocupação dos edifícios e do espaço onde hoje funciona o Câmpus de Ourinhos, no caso da descontinuidade do curso” (grifo nosso), ou seja, como se “o fim” do curso de Geografia já estivesse definido.
Tal comissão mista foi criada por meio da portaria no 1/2020-CEOUR, de 03 de fevereiro, ou seja, antes da data de assinatura da Carta do Conselho de Curso de Geografia.
Conforme consta na citada Portaria (cópia anexa), foram nomeados quatro docentes titulares e quatro servidores técnicos e administrativos titulares, além de um docente e um servidor técnico e administrativo suplentes.
Entretanto, em reunião realizada pelo corpo técnico administrativo, em 04 de fevereiro, por há tempos não concordar com as ideias que vinham sendo apresentadas pelos docentes, decidiu-se pela não participação deste segmento na comissão mista criada e no mesmo dia foi protocolada, via SIGAD (protocolo OUR/CE – 52/2020), carta ao Coordenador Executivo, assinada por vinte e três servidores.
A partir do documento protocolado, foi expedida a portaria no 2/2020-CEOUR, datado de 04/02/2020 (cópia anexa), que excluiu os servidores técnico-administrativos da referida comissão.
Assim, os membros docentes da comissão reuniram-se em 05 de fevereiro e elaboraram o documento, chamado pela Assessoria Técnica da Prograd de “Carta da Comissão Mista do Câmpus de Ourinhos”, datada também de 06 de fevereiro, e assinada apenas pelo presidente da comissão.
No primeiro parágrafo da carta, é informado que a comissão criada reuniu-se para analisar a “tal conjuntura atual do câmpus”. Mas é no segundo parágrafo que verificamos a seguinte informação: “Na reunião de docentes e no documento dela derivado foram indicados vários problemas…” (grifo nosso).
Importante ressaltar que, de acordo com o texto acima, a reunião ocorrida no dia 05 de fevereiro analisou um documento datado do dia 06 de fevereiro!!! Aqui, podemos concluir o porquê da Assessoria Técnica da Prograd considerar que as soluções apontadas neste documento “ecoam” as do documento anterior.
Outro ponto a ser destacado é que, em nenhum momento, a carta explicita quantos componentes se reuniram no dia 05 de fevereiro e quantos concordaram ou discordaram com os pontos apresentados no documento. Importante observar que, no documento inteiro, não há qualquer menção à palavra “mista”, ou seja, é possível compreender que não houve participação de mais de um segmento no documento elaborado.
Finalizando este assunto, ressalta-se que as cartas, ambas datadas de 06 de fevereiro, foram protocolados, no sistema SIGAD, em 07 de fevereiro, sem NENHUMA DELAS passar por análise e aprovação nos Conselhos de Curso ou Diretor. Ademais, tal documentação só foi disponibilizada à comunidade, a pedido, no dia 26 de fevereiro, quase três semanas depois de enviada, quando já havia tramitado na Reitoria e chegado nas mãos da PROGRAD. Sequer os docentes que não compuseram a Comissão tiveram acesso aos documentos elaborados antes de seu envio ao Gabinete do Reitor.
Portanto, queremos deixar claro que a citada Comissão Mista nunca existiu efetivamente e o pensamento do corpo técnico administrativo difere totalmente do pensamento dos docentes que redigiram tanto a “Carta do Conselho de Curso de Geografia” quanto a “Carta da Comissão Mista do Câmpus de Ourinhos”.
No que diz respeito aos dados apresentados na informação no 023/2020- Prograd, datada de 07/04/2020, destacamos o que segue:
1) Os dados relativos ao preenchimento das vagas no curso de Geografia no ano 2020 são parciais. O último aluno matriculado teve sua matrícula virtual deferida em 07/04/2020. Considerando o ingresso pelo Vestibular Unesp 2020, por Reopção (5a e 6a chamadas do Vestibular) e pelo Processo Seletivo UNESP / ENEM, inédito em 2020, tivemos 42 alunos matriculados no período matutino (93,3 %) e 43 matriculados no período noturno (95,6 %). Se adicionarmos, no período matutino, os 2 alunos ingressantes por transferência externa e um aluno matriculado pelo processo de “Reingresso”, totalizamos as 45 vagas preenchidas. O mesmo ocorreu no período noturno, no qual houve dois alunos ingressantes por transferência externa e como portador de diploma de ensino superior. Esses dados evidenciam melhora considerável no número de alunos ingressantes, resultado da intensificação das atividades de divulgação do curso de Geografia e do Vestibular Unesp 2020 em escolas de Ensino Médio, em feiras de profissões, shopping center e praça central de Ourinhos, Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), empresas da cidade e cursinhos pré-vestibulares de todo o Estado de São Paulo, que contaram com a participação de docentes, servidores técnicos e administrativos e alunos; e da criação do Processo Seletivo UNESP / ENEM, responsável pelo preenchimento de 22 vagas no período matutino e de 13 vagas no período noturno. Cumpre destacar que o Câmpus de Ourinhos oferece mais vagas por ano que os demais cursos idênticos da Unesp, com 90 vagas, contra 85 vagas no Câmpus de Presidente Prudente e 80 vagas no Câmpus de Rio Claro;
2) As taxas de evasão apresentadas no item 3.2 nos últimos três anos são superiores aos valores médios dos cursos da Unesp, da área de Humanidades e dos cursos mistos de Licenciatura e Bacharelado. Esses dados refletem o comportamento apresentado pelos cursos de Licenciatura em geral, de certa forma desprestigiados perante a sociedade e o mercado de trabalho, e o “isolamento” do curso de Geografia em um câmpus com apenas um curso. Entretanto, a taxa de evasão média dos cursos de graduação em Geografia das universidades federais, segundo reportagem publicada na página Poder 3601, foi de 28,2 % no ano 2018, a 8a maior taxa entre os 87 cursos de graduação
1 Universidades federais têm evasão de 15% em 2018. Disponível em: https://www.poder360.com.br/governo/universidades-federais-tem-evasao-de-15-em-2018/. Acesso em: 13 abr. 2020.
analisados, segundo dados fornecidos pela Secretaria de Ensino Superior do Ministério da Educação, o que comprova ser uma característica dos cursos de Geografia em todo o território nacional, mas não diminui a importância dos profissionais “professor de Geografia” e “geógrafo” na atuação no ensino básico e superior e nas áreas ambiental, de planejamento, de geoprocessamento, entre outras.
Informamos também que, em carta enviada ao Magnífico Reitor da Unesp em 12/02/2019 (documento anexo), no contexto dos primeiros boatos de fechamento de cursos e de alguns câmpus experimentais da Unesp (o que ajudou a prejudicar o preenchimento de vagas daquele ano), o corpo técnico administrativo do Câmpus de Ourinhos elencou as inúmeras desvantagens dessas medidas e propôs a criação do curso de graduação em Direito na unidade, com a justificativa de criar ambiente universitário e de diálogo entre cursos de graduação, aproveitar a estrutura física do novo câmpus e fortalecer o Câmpus de Ourinhos como um todo, dado que o referido curso tem alta procura. Tal proposta foi apresentada novamente ao Magnífico Reitor e Vice-Reitor da Unesp pelo Coordenador Executivo, Prof. Dr. Edson Luís Piroli, pelo representante do corpo técnico administrativo no Conselho Diretor do câmpus, Sr. Durval de Lara Fernandes, pelo vereador do município de Ourinhos, Sr. Edvaldo Lúcio Abel, por três assessores do deputado estadual Mauro Bragato, dentre eles, seu Secretário Especial Parlamentar, Sr. Adriano Roberto Aparecido Lopes, pela presidente da UMMES – União dos Municípios da Média Sorocabana, Sra. Eliana Maria Rorato Manso, em reunião realizada em 04/03/2020, ocasião em que foram entregues moções de apoio à criação do curso de inúmeras associações e instituições locais, com destaque para moção da OAB – Seção Ourinhos. Na oportunidade, foram apresentados os levantamentos a respeito da demanda regional do curso de Direito, realizados em eventos de grande público, como durante a aplicação do Vestibular da Unesp e a FAPI – Feira Agropecuária e Industrial de Ourinhos, além de estudos de grades curriculares de instituições públicas em relação às cargas horárias e possibilidade de implementação do curso no câmpus. Foi destacado, ainda, o seu baixo custo de implantação, considerando a contratação de docentes em RTC, que representaria um impacto anual de 10% (dez por cento) no primeiro ano do curso em relação ao que se despende atualmente com o Câmpus de Ourinhos, atingindo 20% (vinte por cento) a partir do terceiro ano. Tal proposta foi bem recebida pelo Magnífico Reitor da Unesp.
Entretanto, cientes dos impactos econômicos negativos da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) no Brasil e, em especial, no Estado de São Paulo, temos plena consciência das dificuldades financeiras pelas quais a universidade passará nos próximos meses e anos, que dificultarão a implantação de qualquer curso de graduação neste período. Nesse ínterim, a abertura de vagas no curso de Geografia no Vestibular Unesp 2021 faz-se extremamente necessária, de forma a manter o Câmpus de Ourinhos em funcionamento e dar ao Curso de Geografia possibilidades de recuperação, cujos sinais já se observaram em 2020, com o aumento do número de vagas preenchidas.
Diante de todo o exposto, preocupados com a manutenção do Curso de Geografia e do Câmpus de Ourinhos, além dos prejuízos que a comunidade acadêmica deste câmpus possa sofrer com decisões tomadas por esse órgão e demais órgãos colegiados da Universidade, solicitamos aos ilustres membros da CCG o que segue:
1 – a retirada deste item da pauta, para que possa ser levantado realmente o pensamento da comunidade acadêmica, visto que, a nosso ver, as cartas que originaram a Informação no 023/2020-Prograd não têm legitimidade para tal, pois além de refletirem apenas a opinião do segmento docente (não especificando quem são eles), também não foram analisadas e tampouco aprovadas pelos órgãos colegiados do Câmpus de Ourinhos ou;
2 – que não seja analisada a recomendação de suspensão do oferecimento de vagas para o curso de Geografia em 2021, visto que são necessários subsídios mais críveis e concretos para tal, conforme foi esclarecido no documento acima. Além disso, com a nova forma de ingresso via ENEM, o percentual total de vagas preenchidas em 2020 foi de 94,45%. Assim sendo, estes números demonstram, preliminarmente, uma visível e incontestável melhora no aproveitamento de vagas. Ademais, após estes resultados obtidos em 2020, a suspensão do oferecimento de vagas em 2021 possivelmente traria prejuízos irrecuperáveis ao Câmpus e aos discentes, incluindo os ingressantes do presente ano.
Sem mais, certos de contarmos com a atenção desse órgão colegiado, no que tange ao assunto acima externado, agradecemos antecipadamente e colocamo-nos à disposição para dirimir eventuais dúvidas que possam surgir.
Respeitosamente,

Servidores que participaram da reunião de 13/04/2020 (em ordem alfabética)
100% DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS DO C MPUS DE OURINHOS aprovaram o presente documento (relação em ordem alfabética)

Adriana Midori Hara Tavares Adriana Midori Hara Tavares
Alexandre Rogério Trindade
Alfredo Fernandes Tavares Junior Alfredo Fernandes Tavares Junior
Angela Peres Crespo Angela Peres Crespo
Camile Bermejo Andreo Abimussi
Deivid Junio Ferreira
Durval de Lara Fernandes Durval de Lara Fernandes
Edivaldo Ribeiro Rocha
Fabio Domingues
Glaucia Marques da Rocha Coelho Garcia Glaucia Marques da Rocha Coelho Garcia
Gustavo Coiradas Gustavo Coiradas
Jakson José Ferreira Jakson José Ferreira
Julio Cesar Demarchi Julio Cesar Demarchi
Karin Souza Leonardo
Laryssa Bitencourt Silva Laryssa Bitencourt Silva
Leandro Scantamburlo Leandro Scantamburlo
Leonardo Conte Fantinatti
Leonardo Hiroshi Horie Leonardo Hiroshi Horie
Luiz Fabiano de Andrade
Márcio Ribeiro Lopes Márcio Ribeiro Lopes
Mariana Paula Umino Mariana Paula Umino
Marianne Lazanha Bertussi Coiradas Marianne Lazanha Bertussi Coiradas
Paulo Alberto Augusto Paulo Alberto Augusto
Rafael Augusto Godoy da Rocha Rafael Augusto Godoy da Rocha
Reinaldo Bezerra Alves Reinaldo Bezerra Alves
Rodrigo Fantinatti Carvalho
Vanessa Ramos dos Santos