MÚSICA/RÁDIO – Jeff Beck um dos maiorais da guitarra partiu aos 78 anos

 

O estimado músico um dos maiores guitarristas de rock de todos os tempos tocou com os Yardbirds e ajudou a popularizar o jazz fusion, morreu dia 11 de janeiro após contrair meningite bacteriana. A edição da Hora do Rock neste 14 de janeiro presta homenagem ao legendário Beck um dos grandes mestres da guitarra de todos os tempos. Logo mais a meia noite.  Ouça no seu rádio em 92,5 – Itaipu FM  ou em www.radioitaipufm.com.br , produção e apresentação José Luiz Martins.

Geoffrey Beck nasceu em Wallington, no sul de Londres, em 1944. Ele cantou no coro de uma igreja quando criança e aprendeu a tocar guitarra elétrica quando adolescente; ele até fez um modelo caseiro imitando a famosa Gibson Les Paul. Como muitos adolescentes britânicos da época, ele idolatrava artistas americanos de blues e rock’n’roll – principalmente Buddy Guy e Gene Vincent.

Beck tocou em um punhado de bandas locais no início dos anos 1960, como Rumbles, Tridents, Night Shift e Screaming Lord Sutch, mas teve uma chance ainda maior quando Eric Clapton decidiu deixar os Yardbirds em 1965.

Se juntou depois que outro guitarrista local – Jimmy Page – o recomendou aos membros restantes. Beck tocou notavelmente no álbum For Your Love de 1965 – a faixa-título que se tornou um dos maiores sucessos do grupo. Ele também gravou em “ Shapes of Things ”, que aparece no LP autointitulado dos Yardbirds de 1966.

A passagem de Beck pelos Yardbirds foi breve; ele saiu em 1966 e lançou seu primeiro álbum solo, Truth , dois anos depois. Beck-Ola, seu primeiro álbum de estúdio lançado como Jeff Beck Group, chegou em 1969. A formação inicial apresentava Rod Stewart nos vocais, Ronnie Wood no baixo e Tony Newman na bateria. Nesse mesmo ano, Beck sofreu um acidente de carro que o deixou com uma fratura no crânio.

A Hora do Rock destaca o disco Jeff Beck With The Jan Hammer Group, um dos maiores discos ao vivo de todos os tempos

Em 1971, Beck havia reformado o Jeff Beck Group. A nova formação incluía Bob Tench nos vocais principais, Clive Chaman no baixo, Cozy Powell na bateria e Max Middleton no piano. Eles lançaram Rough and Ready naquele ano, seguido por um LP final autointitulado em 1972. Ambos os álbuns flertaram com os fundamentos do que mais tarde seria conhecido como jazz fusion.

Beck voltou à carreira solo em 1975, quando lançou Blow by Blow – um LP de jazz fusion totalmente formado. O álbum foi produzido pelo famoso colaborador dos Beatles, George Martin, e acabaria ganhando disco de platina nos Estados Unidos. Seu sucessor, Wired , de 1976 , também ganhou disco de platina.

Beck desacelerou na década de 1980 devido às suas lutas contra o zumbido, embora tenha lançado Flash em 1985 e Jeff Beck’s Guitar Shop em 1989. Flash daria a Beck seu primeiro prêmio Grammy – seu single “Escape” levou para casa o troféu de Melhor Rock Instrumental Performance em 1986.

Ele ganharia sete Grammys adicionais durante sua vida, mais recentemente em 2011, quando ganhou três prêmios. Ele também concorre a Melhor Performance de Rock na cerimônia do mês que vem pela colaboração de Ozzy Osbourne, “Patient Number 9”.

A década de 1990 foi uma década particularmente colaborativa para o músico, que trabalhou com Tina Turner, Jon Bon Jovi, Kate Bush, Roger Waters e seu ídolo adolescente, Buddy Guy, durante esses anos. Ele também lançou seu LP de 1999, Who Else! , junto com um punhado de álbuns ao longo do início dos anos 2000.

Seu lançamento mais recente foi uma colaboração de 2022 com Johnny Depp intitulada 18 . Beck estava se apresentando ao vivo com o controverso ator pouco antes de sua morte.

Após a notícia da morte de Beck, vários músicos prestaram homenagem nas redes sociais, incluindo Patti Smith , Mick Jagger , Rod Stewart , Brian Wilson , Chrissie Hynde , Johnny Marr , Nile Rodgers , Gene Simmons , Sean Ono Lennon , Billy Corgan entre out

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info