Escola estadual tem funcionária com Covid-19

A reportagem do Contratempo recebeu informações que uma funcionária da escola estadual José Augusto de Oliveira estaria com Covid- 19.

A reportagem entrou em contato com a diretora da Unidade Escolar Djanira Arantes que confirmou a informação, no entanto ressaltou  que a funcionária contraiu o vírus durante recesso escolar e que assim que retornou começou a sentir os primeiros sintomas se afastou do trabalho.  “Essa funcionária está afastada e recebendo toda orientação e apoio necessários durante esse período “, esclareceu.

Djanira informou ainda que a escola foi preventivamente fechada e todos os funcionários que tiveram contato com a pessoa infectada passaram por exames de Covid’. “Existem alguns funcionários que devem ter o resultado do exame até segunda- feira e caso todos atestem negativo, devemos reabrir a escola na terça-feira, já com todo ambiente devidamente desinfectado”, esclareceu.

Segundo a diretora, existe a necessidade de se manter o funcionamento da escola com número mínimo de funcionários, devido ao atendimento a alunos pela secretaria e direção, além da limpeza local.  “Nós temos que atender alunos que não tem internet em casa e vem buscar as atividades impressas, bem como aqueles que precisam do histórico escolar. No entanto temos hoje em esquema de revezamento, um funcionário da gestão, dois da secretaria e um da limpeza, em cada um dos períodos.  E também é importante salientar que o atendimento na secretaria é feito por meio de um vidro que separa o ambiente, cuja sala também é  bem espaçosa, respeitando todos os protocolos de distanciamento, máscara e alcool em gel, tudo feito com muita responsabilidade e cuidado “, explicou.

Funcionamento é determinado pela secretaria de Educação

Em entrevista ao Contratempo, a dirigente regional de Ensino, Sandra Andrade afirmou que a determinação para o funcionamento das escolas com número mínimo de funcionários atende determinação da secretaria estadual de Educação. ” A secretaria estadual  de Educação determina que haja funcionamento mínimo para que se mantenha atendimento aos alunos que necessitam de histórico escolar, além de alguns alunos que não conseguiram realizar suas atividades online. Cada escola estabelece qual o número mínimo necessário de funcionários, mas tudo feito seguindo os protocolos e é importante ressaltar que o único caso de Covid até o momento foi dessa funcionária da escola José Augusto e que se contaminou fora do ambiente escolar “, explicou.