Após erro de diagnóstico em Ourinhos, mulher de 39 anos tem rim atrofiado e visão comprometida devido a diabetes mellitus

A população de Ourinhos está se mobilizando para ajudar a ourinhense Carla Aparecida Rosa, de 39 anos, que sofre de diabetes mellitus tipo 1, que causou o atrofiamento de um dos rins, a perda parcial da visão e hipertensão, além de sofrer com fortes dores no outro rim, onde possui um cisto hemorrágico.

Mãe de dois filhos, Mauro Sérgio de 23 anos, que estava desempregado e felizmente conseguiu emprego no início deste mês e Luiz Carlos de 17 anos, a família passa dificuldades e há mais de uma semana, se alimenta apenas de fubá.

Segundo Carla, devido a falta de atendimento adequado em Ourinhos e a um erro de diagnóstico, que fez com que perdesse tempo e agravasse seu problema de saúde, passou a se tratar na UNESP de Botucatu e de Rubião, onde é atendida também na UBS e no Hospital Sorocabano. Em Ourinhos, Carla conta que esperou mais de um ano para passar no Nefrologista em vão, sem conseguir ser atendida. “Se dependesse de Ourinhos, eu já estaria morta, pois fiquei aqui meses sem ter o diagnóstico correto, até pra Jaú me mandaram achando que tinha câncer no colo do útero no final de 2015, porque tinha fortes dores na barriga. Em abril do ano passado, outro médico de Ourinhos me deu encaminhamento para o Nefrologista e como não tinha previsão de agendamento, em setembro fui na UNESP de  Botucatu onde consegui ser atendida e os médicos descobriram que eu tinha o pior tipo de diabetes que é o mellitus, e que atrofiou um dos  meus rins, e o outro já está com cisto hemorrágico. Desde então, eu sofro dores fortíssimas que me impedem até de limpar minha casa, dependo dos meus filhos pra fazer tudo. Além disso, com minha falta de visão, não posso nem andar direito na rua, com medo de cair. Tomo 31 comprimidos por dia, e tomo insulina a cada duas horas. Todos esses remédios eu pego em Botucatu, porque aqui vive faltando remédio, além disto, tenho dois remédios de alto custo, que tenho que comprar na farmácia, porque para receber aqui em Ourinhos teria que pedir autorização do Estado,  e me tratar em Ourinhos”, explicou.

Encaminhamento para agendamento de nefrologista foi feito em 07 de março de 2016

Após um ano, consulta no Nefrologista continua sem previsão

De acordo com Carla, após mais de um ano aguardando o agendamento para passar no nefrologista em Ourinhos (veja imagem ao lado), em maio deste ano, ela voltou ao Postão para saber se havia alguma previsão do agendamento da consulta, quando teve nova decepção. “Eu voltei ao Postão, pra perguntar se estava próximo o agendamento e me disseram que continuava sem previsão, então eu pedi o papel de encaminhamento de volta, já que estou me tratando em Botucatu e Rubião, onde sou atendido pelo nefrologista, ginecologista, clínico geral e agora vou passar no endocrinologista. Em Botucatu, eles me disseram que assim que minha diabetes estiver sob controle, devo passar por uma cirurgia para retirar o cisto, pois já está com mais de 1kg e se chegar a mais de 2 kg, ele irá romper  e causar infecção generalizada que poderá me levar a morte”, contou.

Quem quiser ajudar Carla e sua família, doando alimentos não perecíveis, pode entrar em contato pelo celular: (14) 99648-4420. 

 

 

 

Remédios que Carla toma todos os dias
Insulina que Carla toma a cada duas horas