Equipe da UENP viaja para participar do projeto Rondon no Mato Grosso do Sul

 

Equipe que representa a UENP na Operação Guaicurus do Projeto Rondon

Um grupo formado por oito estudantes e dois professores da Universidade Estadual do Norte do Paraná viajou, na quinta-feira, 13 de julho, para Santa Rita do Pardo, no Mato Grosso do Sul. Coordenados pelos professores Luiz Fabiano Zanatta e Gabriela Cristina de Oliveira, os alunos participarão da Operação Guaicurus do Projeto Rondon, realizada de 16 a 30 de julho.

A equipe da UENP desenvolverá ações do conjunto A, com oficinas nas áreas de Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação e Saúde. O projeto Rondon, mantido pelo Governo Federal e Ministério da Defesa, leva estudantes da graduação para desenvolver atividades em outras regiões do país, de modo a promover a integração e o conhecimento das diversas realidades nacionais.

O pró-reitor de Extensão e Cultura, Rui Gonçalves Marques Elias, destaca a retomada da participação da Universidade no Rondon. “A UENP tem uma tradição de fazer parte das ações do Projeto Rondon. Neste ano, temos a retomada dessa participação, pois, desde 2020, não participávamos. Isso também é fruto de uma estratégia da PROEC. Temos estruturado ações contínuas em diversas projetos com essa característica. Nesta edição, estamos contemplando alunos dos três campi da UENP e isso é muito importante, o Rondon é um projeto muito transformador tanto para a sociedade que recebe quanto para os alunos que participam e voltam de lá, sem dúvida, com uma nova visão de mundo”, frisou.

Sophia Dias Campos, estudante de Enfermagem da UENP, é uma das integrantes da equipe e está ansiosa para participar do Rondon. “Acredito que será uma experiência única, foram quase dois meses de capacitação e abdicação. Ir para o Rondon era algo que eu queria viver, pois é uma atividade única de extensão que vai além dos muros da Universidade, onde poderemos conhecer outra comunidade, outra cultura e com as oficinas poderemos retornar para a sociedade o conhecimento e prática que a Universidade nos proporcionou”, destacou.

Para Ana Clara Ferreira, aluna de Letras – Português e Espanhol, participar do Rondon será uma oportunidade ímpar. “Espero fazer um bom trabalho em conjunto com a minha equipe e poder transformar a vida das pessoas que vamos encontrar. O período de formação foi fundamental para se preparar para a viagem e ter noção do que vamos encontrar. Os professores Luiz e Gabriela têm anos de experiência no Rondon e, desde o começo, nos deram uma dose equilibrada de entusiasmo e realismo sobre a experiência. Além disso, temos bastante troca com os outros cursos e campi da UENP, que é mais um dos ganhos que já senti com a participação no projeto”, disse.

Também participam do projeto os estudantes de Ciências Biológicas, Brian Martins Vilela; de Fisioterapia, Lucas Freiria Fuin e Thaís Quintino da Silva; de Odontologia, Nicolly Silva Goes e Vitória Maria de Moraes; e de Pedagogia, Ana Luiza Machado Sepulveda.

Projeto Rondon

O Projeto Rondon, que na UENP é gerenciado pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, é coordenado pelo Ministério da Defesa e conta com a participação de Instituições de Ensino Superior. A ideia é somar forças com as lideranças comunitárias e com a população para contribuir com o desenvolvimento e a promoção da cidadania nos locais onde o projeto é realizado. Tem o objetivo também de contribuir para a formação do universitário como cidadão. O nome foi dado em homenagem ao Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, bandeirante do século XX que fazia expedições pelo sertão do país, estendendo linhas telegráficas. Ele foi um dos precursores na luta em defesa dos indígenas. “Morrer se preciso for, matar nunca” foi o seu lema e inspirou as Forças Armadas.

Fonte UENP

 

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info