Antônio Amaral Jr é reeleito presidente do PT de Ourinhos, chapa concorrente aponta irregularidades

A Chapa “Partido Popular Democrático de Lutas e Solidário”, liderada por Antônio Amaral Junior, o Toninho do PT, foi a escolhida para compor o Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Ourinhos para o mandatos de 2 anos a partir de 2024 .

Toninho é o atual presidente do PT local e foi reeleito com ampla maioria dos votos dos cerca de 280 filiados que compareceram a votação realizada no último domingo dia 8. A eleição também escolheu os membros da Comissão de Ética e do Conselho Fiscal.

A chapa do ex-vereador por dois mandatos, obteve 209 votos, Antônio Amaral foi reeleito presidente com 221 votos. A chapa concorrente “União e Democracia” obteve 60 votos com a servidora pública Milene Cardoso Gonzaga de Melo indicada para presidir o partido em Ourinhos obtendo Milene 59 votos.

Queixas e contendas

Ouvida pela reportagem do Contratempo, Milene Melo apoiada pelo “Mandato Coletivo Emfrente” junto a vereadora Roberta Stopa, disse ser  importantíssima a disputa interna no PT- Ourinhos “…para demonstrar que parte dos filiados está descontente com a atual condução do Partido, principalmente pela ausência de diálogo, ações concretas e formação para que a militância entenda o quão fundamental é a sua  participação”.

Segundo ela, são mais de dois anos sem plenárias, assembleias, reuniões e, a chapa que representa tem a intenção de democratizar o Partido, fomentar ações práticas e trabalhar a formação para que seja possível combater a desinformação, divulgar as ações do Governo Lula e defender as pautas progressistas no município, tornando possível uma disputa forte nas eleições de 2024.

Ela lamenta o resultado dizendo que a disputa no PT local não se encerrou no último domingo afirmando que houve supostas irregularidades no processo de escolha do novo diretório para o biênio 2024/2025. “ Infelizmente corremos o risco de ver prevalecer a velha política, dos “acordos”, do “toma lá dá cá”, e com a filiação de muitos integrantes no Partido que não se filiaram exercendo um ato pessoal, consciente e individual, mas sim, que foram filiados por outra pessoa e respondendo a um pedido de apoio específico para a votação em um candidato que disputaria a eleição para a presidência do PT municipal”.

De acordo com a representante do Coletivo Emfrente” antes mesmo da eleição partidária, denúncias sobre filiações em massa foram encaminhadas ao Diretório Estadual. “Foram 154 novas filiações, que não foram homologadas pelos membros da executiva, e foram incluídas no sistema do PT em julho de 2023 (prazo limite para filiar membros que teriam direito ao voto na última eleição interna), o que contraria os Artigos 6, 7, 8 e 10 do Estatuto do PT. Caso o Diretório Estadual não se posicione, muitos companheiros podem se afastar pela falta de transparência nesse processo”, afirmou.

E acrescentou que ao longo de 2022 e 2023, foram realizadas várias tentativas de abertura de diálogo e com várias sugestões, conforme Milene Melo, todas ignoradas pelo atual presidente do PT municipal.

 “Seguimos na luta para defender o Governo Lula, a vereança exercida pela Vereadora Roberta Stopa -primeira mulher eleita pelo PT e a única progressista da Câmara-,as pautas progressistas e em especial, na defesa da importância da participação de todas e todos, que com sua luta diária ajudaram e ajudam na construção de um partido democrático. Nós acreditamos que o partido pertence a todos; o PT não pode ter dono, não pode servir aos interesses pessoais de ninguém”, finalizou.

Procurado pela reportagem, Toninho que também é coordenador regional do PT, disse que em breve se manifestará sobre a sua escolha para continuar presidindo o diretório do  Partido dos Trabalhadores de Ourinhos.

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info