Vereadores da base aliada de Lucas Pocay impedem fiscalização de ações do prefeito

 

Quem acompanha as atividades da Câmara de Ourinhos está careca de saber que, sem um mínimo de vergonha, vereadores que formam a base de apoio do prefeito Lucas Pocay  há tempos abriram mão da principal função do vereador que é  avaliar e fiscalizar permanentemente a gestão e as ações do prefeito.

Na última sessão do legislativo ourinhense os vereadores Abel Fiel (PSD), Alexandre Enfermeiro (PSD), Eder Mota (MDB) , Ederson Kita (MDB) , Fernando Seco (PP) , Borjão (PSD)  e Santiago Lucas (União Brasil) escancararam mais uma vez o descompromisso com a com a função fiscalizadora dos seus mandatos e o desrespeito aos eleitores que lhes delegaram a função legislativa.

Subservientes e comprometidos até as tampas com a falta de transparência, marca da gestão de Lucas Pocay, esses mandatários não se limitam apenas a deixar de lado a prerrogativa e o dever de cada um de fiscalizar o executivo. Sem nenhum constrangimento impediram que a  vereadora avance na atividade fiscalizadora, a mais importante do vereador.

A vergonhosa atuação desses vereadores ficou mais uma vez explicita ao rejeitarem o Requerimento 181/2024 que renova o Requerimento 1.594/2023 da vereadora Roberta Stopa (PT – Enfrente) que reiterava o teor outro Requerimento (1.118/2023) anterior sobre o mesmo assunto.

A vereadora cobra desde meados de 2023, informações sobre a não realização da FAPI naquele ano e a notícia amplamente divulgada pela gestão de que o investimento financeiro do evento,  seria direcionado para a política municipal de saúde e realização de cirurgias eletivas.

De acordo com a parlamentar,  o Requerimento 1.118/2023 foi respondido de forma incompleta e relapsa, a posterior, o Requerimento 1.594/2023 aprovado na sessão de 23 de outubro de 2023 ainda não foi respondido.  O descaso configura desrespeito a previsão constitucional que diz, se o poder executivo não responder em 30 dias ou responder com informações falsas, o prefeito incorre em  infração político administrativa.

Ao fazer uso da palavra a vereadora lembrou que o prefeito divulgou nas suas redes sociais o cancelamento da FAPI em junho de 2023, justificando que iria redirecionar os recursos que seriam investidos na FAPI para a realização de cirurgias eletivas. Na ocasião, em seu pronunciamento Pocay não disse quais seriam os valores, tantos de investimento  no evento e os valores que destinados às cirurgias eletivas em Ourinhos.

Cumprindo sua obrigação e fazendo  uso do instrumento de fiscalização do vereador que é o pedido escrito de informação através de requerimento pedindo explicações, informações ou dados, a vereadora Roberta Stopa (e a opinião pública também) quer saber:

 – Qual o valor de patrocínio seria investido na FAPI 2023, já que não consta nas peças orçamentárias os recursos do Poder Público Municipal para a realização da Feira?

– Qual o valor foi redirecionado para realização de cirurgias eletivas?

– Quantas cirurgias eletivas foram realizadas?

Além da autora da petição, votaram a favor do prosseguimento dos questionamentos ao prefeito os vereadores José Roberto Tasca (Republicanos), Guilherme Gonçalves (Podemos). Valter Latinha (PP), Nilce Araújo (PSD) e Anísio Felicetti (PP); embora pertençam ao grupo dos doze edis que invariavelmente atua segundo os ditames do prefeito, espantosamente votaram pela aprovação do requerimento.

https://www.youtube.com/watch?v=tWpeiQOxDtk&feature=youtu.be  

 

 

 

 

 

 

 

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info