“Audiência Pública” ou claque de cargos de confiança em defesa de seus empregos e salários

 

A Audiência Pública realizado na última terça feira que tratou do edital de concessão dos serviços de água e esgoto da SAE,  era aberta a população.  Porém, alguns munícipes ficaram do lado de fora, quem chegou após o começo da audiência não pôde participar.

Estava valendo a suposta regra da Câmara Municipal de Ourinhos na qual o plenário com 120 cadeiras,  estava lotado e ninguém poderia ficar em pé.  O que seria para ser uma plenária pública transformou-se  em uma reunião de cargos comissionados da prefeitura e da autarquia que estavam ali atendendo a convocação do prefeito e não exercendo a cidadania  pelo interesse público em uma questão que envolve mais de 950 milhões de reais de dinheiro público.

A participação popular a foi cerceada e munícipes ficaram do lado de fora. O prefeito convocou secretários e ocupantes de cargos bem como funções de confiança para ocupar o plenário da câmara impedindo que a população e segmentos que questionam a concessão pudessem estar presentes.

Em horário que deveriam estar trabalhando em suas funções na prefeitura os comissionados  compareceram em massa para assinar a lista de presença; fazer a vontade do chefe, garantir seus empregos, polpudos salários em uma  artimanha vergonhosa.