Células realizam suas reuniões com aglomeração de adolescentes

Mesmo com a não autorização para reuniões de oração, algumas células insistem em não ter cuidados no momento de se encontrar

 

Juliana Neves

 

Atualmente todo o estado de São Paulo vive a Fase de Transição do Plano São Paulo até o dia 30 de abril. É uma fase entre a Fase Vermelha e Laranja de flexibilização para que as cidades possam avançar no plano em relação ao combate à pandemia. Com isso, as cidades são autorizadas a abrir comércios e atividades religiosas com horários reduzidos.

Entretanto, quando se fala em atividades religiosas significa “proibição de realização de atividades coletivas (como missas e cultos), mas permissão de abertura dos templos, igrejas e similares para manifestação de fé individual”, como descrito sobre a Fase de Transição no site do Governo do Estado de São Paulo.

Mas o prefeito, Lucas Pocay (PSD), resolveu flexibilizar mais ainda neste período permitindo que “a realização de celebrações religiosas de segunda a domingo, das 06h às 20h, com a presença de fiéis, limitando a capacidade máxima de 25% e respeitando o distanciamento de dois metros”, como divulgado.

Um dos posts do decreto sobre a Fase de Transição em Ourinhos que descreve sobre atividades religiosas (Foto: divulgação Prefeitura Municipal)

Ou seja, mesmo assim, não há autorização para a realização de grupos de oração, afinal existem grupos grandes e ao se encontrarem estariam promovendo aglomeração, porém não são todas as pessoas que respeitam as regras de cada época, de cada fase do plano estadual.

Como é o caso de duas células, grupos de oração de igreja evangélica, que postam fotos das reuniões em seu perfil do Instagram e mostram a aglomeração, com adolescentes reunidos sem distanciamento e sem uso de máscara. São células da igreja Videira Ourinhos.

Em entrevista, uma adolescente que se afastou presencialmente e preferiu participar do grupo de modo on-line, explica que começou a frequentar por curiosidade uma das células em uma época que a situação da pandemia parecia estar mais amenizada.

“Não vou mentir, no começo havia cuidado sim, álcool para entrar, distanciamento e todos de máscara, mas conforme passava o tempo, as pessoas se descuidaram aos poucos. Um dia não tinha mais o álcool, no outro alguns não usavam a máscara. Algumas vezes já houve situações em que alguns só colocavam máscara para tirar a foto, sem falar nas reuniões fora da célula que vão muitas pessoas e todas sem máscara ou sem qualquer outro cuidado. Situação e atitude que facilitam uma contaminação entre os membros que poderiam ser passadas para todos que frequentam as células. Na minha opinião, penso que as pessoas querem se reunir em células, é preciso ter os devidos cuidados e não se aglomerar, tanto na célula como fora da reunião religiosa. E durante grande parte do ano passado, essas reuniões aconteceram de forma on-line, então não acho que seja tão difícil essas células acontecerem dessa forma novamente, ainda mais que estamos no pior momento da pandemia”, conta a adolescente.

O desejo da garota é que as pessoas tenham mais consciência sobre a pandemia e a facilidade de contágio pelo coronavírus, até porque ela sabe que estes descuidos estão presentes em outras células e de outras igrejas.

Diante do cenário, procuramos pelos líderes destas células para questionar por qual razão estariam se aglomerando durante um período de alta de mortes no país e em Ourinhos, via Instagram e Whatsapp, mas não obtivemos resposta. Inclusive, após a tentativa de contato por parte do Jornal Contratempo, um dos perfis no Instagram deixou de ser público para privado.

Prints dos perfis das células no Instagram.

Vale ressaltar que o último dado de mortes no Brasil é de 3.086 em 24 horas e passou de 395 mil óbitos por Covid-19. Já o estado de São Paulo, registrou 1.044 mortes na terça-feira, 27, ultrapassando o total de mortes de 2020. Ou seja, do dia 01 de janeiro a 27 de abril de 2021 o estado tem 47.125 mortes contra 46.717 de 289 dias de pandemia do ano 2020.

E Ourinhos, com o dado mais recente de mortes por dia, no dia 27 de abril registrou mais dois óbitos. Portanto, do dia 01 até o dia 27 de abril totaliza em 61 óbitos, com uma média de 2,25 de mortes até o momento.

Juliana Neves

Escrevo com a intenção de mudar o mundo ofertando a verdade para a sociedade. Mas a luta é diária e constante, realmente, vivendo e aprendendo e tendo o jornalismo como meu aliado.

Comentários no Facebook