Artigo: Outubro apresenta datas importantes para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis: informe-se e cuide-se!

 

Por Dr. Mário Ferreira, biólogo, farmacêutico bioquímico e especialista em saúde

O Ministério da Saúde comemorou na última terça-feira, 17 de outubro, o Dia Nacional da Vacinação, e celebrará no próximo 21 de outubro, sábado,  o Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita.

Primeiramente, é importante recordar que a sífilis está entre as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e, quando falamos nesse tipo de doença, é fundamental ter um diagnóstico precoce para possibilitar que seja contida a propagação da doença, e sejam adotadas medidas adequadas de prevenção e tratamento.

Nesse sentido, recomenda-se acessar e espalhar boas informações para que as pessoas, primeiro, previnam-se dessas doenças e, segundo, façam e possibilitem o diagnóstico precoce para evitar a propagação dessas enfermidades.

No que se refere à sífilis, trata-se de uma doença antiga, transmitida pelo ato sexual, e que muitas vezes, depois de um período inicial, passa a ser assintomática, favorecendo que a doença seja transmitida para outras pessoas, inclusive de forma vertical, da mãe para o filho durante a gestação, podendo ocasionar aborto e até mesmo má formação ou morte do feto ao nascer.

A sífilis se manifesta, em sua primeira fase, como uma pequena ferida nos órgãos sexuais ou caroços nas virilhas, que não doem, não coçam e não ardem. Após um certo tempo, a ferida desaparece, dando à pessoa a falsa impressão de estar curada. Se a doença não for tratada, continua a avançar, surgindo manchas em várias partes do corpo, queda de cabelos, cegueira, doença do coração e, inclusive, paralisias.

São medidas fundamentais de prevenção contra a sífilis: o uso de preservativos e a realização de acompanhamento médico e exames periódicos para diagnosticar a presença de DSTs antecipadamente, especialmente por meio de exames adequados de pré-natal e pré-nupcial, ou seja, no período da gestação e antes do matrimônio ou de ter relações sexuais.

Gostaria de aproveitar as datas mencionadas para também recomendar às pessoas que propaguem boas informações a respeito do uso de preservativos e da vacinação como formas seguras de prevenção, pois algumas DSTs como a hepatite B e o HPV, por exemplo, podem ser evitadas por meio de vacinas disponíveis gratuitamente na rede básica de saúde.

É importante que sejam vacinadas especialmente as pessoas jovens para impedir a transmissão dessas doenças, e é essencial usar preservativos como meios de prevenção. Também é recomendável visitar regularmente um médico ou médica de confiança, possibilitando assim a realização periódica de exames preventivos e o diagnóstico oportuno.

Espalhe e utilize da melhor forma essas informações, e cuide sempre de sua saúde!

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info