ELEIÇOES 2024: PDT, contrário á federação, tem “luz própria”.

Por João Teixeira

O Diretório Nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), fundado por Leonel Brizola, é “totalmente contra federação e a nossa Executiva já sabe disso”.
A explicação do dirigente André Gaetta, membro do Diretório Nacional e secretário-geral do movimento Cristãos Trabalhistas do PDT, basea-se na força política ostentada no Governo Lula.
“Depois do PT, o PDT é o maior partido de esquerda, tem 18 deputados federais, é o sexto partido em prefeituras e o sétimo em vereadores no Brasil”.
O trabalhismo, portanto, dispõe de “luz própria” e caminha isolado da federação dos demais partidos (PT-PC do B-PV; PSDB-Cidadania 23; Psol-Rede).
União Brasil e PP debateram a federação mas desistiram por falta de acordo em algumas regiões.
“O governo do PT é progressista com espírito nacionalista, fazendo porém algumas concessões neoliberais para obter maioria no Congresso, como teto de gastos e o arcabouço fiscal” – declarou Gaetta.
O movimento Cristãos Trabalhistas reúne católicos e evangélicos progressistas do PDT, criado em 2020, “para dialogar com a sociedade e minimizar o ódio e derrotar o nazifascismo”.
André Gaetta é secretário-geral do movimento sincrético que tem assento na Executiva Nacional do PDT.
A seu ver, o Presidente Lula da Silva recuperou a imagem do Brasil no exterior:
“Lula fez um bom discurso no G7, discurso de estadista, dá algumas escorregadas de vez em quando, porém, no geral, passa boa imagem do Brasil lá fora”.

A fonte esclarece que o Diretório Nacional é “majoritariamente contra” a federação.
“O sincretismo não se enquadra no Cristãos Trabalhistas; somos sincréticos enquanto indivíduos, porém o movimento não”.

ANDRÉ GAETTA