Rodovias BR-369 e BR-153 na divisa PR/SP voltará a ter cobrança de pedágio  

Estradas - Pedágio de Jacarezinho volta a cobrar a partir de zero hora deste sábado (2)

Praça de pedágio na  divisa SP/PR ( BR-369) sentido Cambará destivada em 2021

Sem concorrência no leilão na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, o Grupo EPR ganhou o direito de explorar o pedágio no lote 2 do programa de concessão de rodovias do Paraná. O leilão teve uma única empresa participante que deu 0,08% de desconto como lance e o Paraná voltou para a lista de tarifas de pedágio mais caros do Brasil.

O trecho do lote 2 no Norte Pioneiro, que antes tinha quatro praças, vai saltar para sete. A região já tem praças de pedágio desativadas no final de 2021 com o fim da antiga concessão da Econorte  que operou por cerca de 20 anos; no perímetro de Jacarezinho (BR-153 em Marques dos Reis) e na BR-369 sentido Cambará ambas na divisa com estado de São Paulo; e ainda em São José dos Pinhais (BR-277), Carambeí (PR-151) e Jaguariaíva (PR-151.

Com início da nova concessão as novas praças de pedágio serão instaladas em Sengés (PR-151), Quatiguá (PR-092) e mais uma no território de Jacarezinho na BR-153.  Não se sabe ainda se a praça desativada na entrada e saída da ponte Melo Peixoto no Rio Paranapanema, que divide os dois estados será reativada ou será transferida para outro ponto na Rodovia Transbrasiliana (BR153).

 “Em vez de obras, Jacarezinho ganhou mais uma praça de pedágio. O município chegou a sediar a audiência pública sobre o tema e, na ocasião, expôs a luta contra o pedágio caro e a falta de segurança nas rodovias, uma vez que a sonhada duplicação não saiu do papel”, pontua. Em São José dos Pinhais a tarifa começará em R$ 22,30”, afirma o deputado Arilson Chiorato (PT), que coordenou a Frente Parlamentar sobre o Pedágio

Praça de pedágio (BR-153) há 50m da ponte velha sobre o Rio Paranapanema

Além do Norte Pioneiro o lote abrange rodovias federais e estaduais entre Curitiba e o Litoral e os Campos Gerais com total de 604 quilômetros. O participante único é o Consórcio Infraestrutura PR, formado pela EPR 2 Participações e pela Perfin Voyager Fundo de Investimento.

“Com esse desconto de 00,8%, o pedágio do lote 2 ficará mais caro de imediato. “Se antes um caminhão com 6 eixos gastava R$ 348,60 ao trafegar por todo o trecho do lote 2, agora, com a concessão, passará a pagar R$ 150,27 a mais, totalizando R$ 498,87. Uma vergonha. A batida de martelo na B3 pode ser considerada uma verdadeira pancada na competitividade paranaense e também no custo de vida, que, com certeza, ficará mais caro”, ressaltou o deputado.

Na avaliação do deputado, o leilão de mostra que esse instrumento não garante ampla concorrência nem menor tarifa de verdade. “Aconteceu o que prevíamos. O pedágio vai ficar mais caro. Além da falta de concorrência, que já havíamos alertado que modelo não era competitivo, desconto vergonhoso aliado ao aumento de praças, maior tempo de exploração e degrau tarifário após o quinto ano. Infelizmente, o Paraná vai continuar na lista de um pedágio caro e abusivo”, alerta Arilson Chiorato.

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info