Assembleia dos servidores municipais aprova deflagração de greve. Paralisação começa na próxima sexta, 31

Servidores aprovaram em assembleia, a deflagração da greve a partir da próxima sexta, 31

Na manhã deste sábado, 25, o Sindicato dos Servidores Municipais realizou assembleia, onde foi aprovado de forma unânime pelos servidores presentes, a deflagração de greve por tempo indeterminado  a partir da próxima sexta-feira, 31.

A greve foi definida após os servidores terem rejeitado duas contrapropostas do prefeito Lucas Pocay, a última delas em que ofereceu apenas 2% de reajuste, abaixo do valor da inflação do período, que foi de 4,9%.

Durante a assembleia, o presidente do Sindicato Edinilson Ribeiro da Silva afirmou que estão divulgando calúnias por meio de grupos de whatsapp a seu respeito, dizendo que teria feito acordo com o prefeito Lucas Pocay, para que sua esposa que é servidora municipal há 25 anos fosse contemplada  com um cargo de confiança na prefeitura. Edinilson refutou a veracidade desta informação e afirmou que tem as gravações e conversas desse grupo de whatsapp e  que irá processar as pessoas envolvidas, que terão que provar as acusações feitas a ele.

O presidente do sindicato disse ainda que existem pessoas do grupo político que foi derrotado nas urnas nas eleições de outubro e que querem fazer palanque político, usando a greve dos servidores para atacar seu adversário político, o prefeito Lucas Pocay e que ele não permitirá que usem os servidores para atingir seus fins políticos.

Prefeito envia projeto de lei de reajuste aos servidores

Por fim, Edinilson convocou todos os servidores a comparecerem a sessão da Câmara na próxima segunda-feira, 27, a fim de pressionar os vereadores a não aprovarem projeto de lei que o prefeito Lucas Pocay enviou a Câmara na sexta-feira, 24, com o reajuste de 2%, que já havia sido rejeitado pelos servidores em assembleia na última segunda-feira, 20. “Convoco todos vocês a irem a Câmara, para pressionar os vereadores que foram eleitos com os votos da população e dos servidores e demonstrar nossa indignação com essa atitude desrespeitosa do prefeito Lucas Pocay, que enviou na sexta-feira, projeto de lei com reajuste vergonhoso aos servidores, mesmo sabendo que já rejeitamos essa proposta e que iremos iniciar uma greve  a fim de garantir nossos direitos”, criticou.

 

“Greve terá consequências”, diz prefeito

A reportagem do Contratempo teve acesso a  uma gravação de uma reunião entre a diretoria do sindicato dos servidores e o prefeito Lucas Pocay, em que o prefeito desmente que há perseguições em sua gestão, contra servidores de outro grupo político. Por outro lado, Pocay afirmou que a greve não resolverá nada já que a prefeitura não tem condições de dar aumento e que caso ocorra a  paralisação, terá consequências para os servidores, já que a prefeitura não permitirá que a população seja prejudicada pelo movimento grevista. Durante a reunião, o presidente do sindicato Edinilson citou a polêmica fala do secretário Inácio em seu programa de rádio em uma emissora local, em que denegriu a imagem dos servidores perante a população, chamando-os de irresponsáveis por terem paralisado suas atividades na sexta-feira, 17, obrigando o fechamento de várias creches e disse que quem quisesse ganhar melhor salário deveria procurar outro emprego. O prefeito Lucas Pocay admitiu que ele errou ao generalizar as críticas e que já conversou com o secretário a respeito, mas afirmou que realmente alguns servidores prejudicaram a população, com esta atitude impensada, já que nem greve havia naquele momento.

Ouça o áudio da reunião entre o prefeito e o sindicato:

https://contratempo.info/wp-content/uploads/2017/03/audio_prefeito.mp3?_=1