CTG Brasil realizou testes sonoros em sirenes instaladas na Usina Hidrelétrica Salto Grande

 Salto Grande SP – Imagem aerea da UHE de Salto Grande. (Foto: Henrique Manreza)
A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País, realizou no dia 6 de fevereiro, os testes sonoros nas torres de sirenes instaladas nas áreas logo abaixo da barragem da Usina Hidrelétrica Salto Grande,  uma importante etapa do processo de implantação do Plano de Ação de Emergência (PAE) da barragem.
Com participação das Defesas Civis de Salto Grande (SP) e Cambará (PR), os testes terão como principais objetivos avaliar o alcance sonoro das cornetas em sua potência máxima e a comunicação entre as torres e a sala de comando da usina, onde está instalado o centro de supervisão do sistema de alerta de emergência da barragem.
“Os testes serão fundamentais para avaliarmos o desempenho da Rede de Alerta de Emergência na Zona de Autossalvamento (ZAS) da barragem. Esperamos que, com o sistema em sua capacidade máxima, as mensagens de alerta possam ser compreendidas por toda a população que vive na ZAS”, explica Pedro Nunes, gerente de Segurança de Barragem da CTG Brasil.
Zona de Autossalvamento, ou apenas ZAS, é o nome dado para a área de impacto imediato, em caso de emergência, localizada logo abaixo da barragem. Neste caso, as torres de sirenes têm o papel de alertar, por meio da emissão de sinal sonoro, a população que vive nessas áreas a se dirigir até o ponto de segurança mais próximo, utilizando as rotas de evacuação já sinalizadas.
Nunes ressalta que o PAE tem caráter preventivo e todas as barragens administradas pela CTG Brasil são seguras, consideradas de baixo risco e operam dentro do que rege a Lei de Segurança de Barragens.
Como são realizados os testes?
Os testes sonoros do dia 6 de fevereiro ocorreram  no período da manhã, das 8h às 12h. Durante a ação, serão testados 4 tipos de mensagens e as torres de sirenes serão acionadas pela sala de comando da Usina, onde está instalado o sistema de supervisão e acionamento do PAE. Enquanto isso, equipes da CTG Brasil e Defesas Civis municipais estarão posicionadas em diferentes pontos da ZAS para coletar dados como pressão sonora e compreensão das mensagens de alerta.
O som pode ser ouvido tanto pelas pessoas que residem na ZAS quanto nas proximidades, ou que estiverem transitando pela área no momento dos testes.
A população cadastrada nas áreas próximas à barragem foram avisadas com antecedência dos testes, por meio de mensagens de SMS e Whatsapp, além de carro de som e publicação em redes sociais.
Próximos passos
A UHE Salto Grande conta com três torres de sirenes instaladas, uma dentro da usina (ZAS interna) e duas fora (ZAS externa). Encerrada a fase de testes das torres de sirenes, os próximos passos da implantação do PAE da barragem da Usina consistem na realização dos exercícios simulados de evacuação com as comunidades residentes na ZAS e participação da Defesa Civil. Todas as ações na ZAS envolvendo a comunidade serão comunicadas com antecedência.
Sobre a CTG Brasil
Uma das maiores geradoras de energia do País, conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente. A empresa tem investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, com capacidade instalada total de 8,3 GW. Criada em 2013, é controlada indireta da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em geração de energia limpa.

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info