Entre Santos e Reis

Éramos todos reis

senhores da liberdade

desbravadores do nosso destino

e donos da verdade absoluta

Até o ponto da santidade

na santa idade da compreensão

de todo o passado

e de todo amor suportado

Ao fim, inevitável e dorido

do qual nem santo e nem rei escapa

que só o homem é que suporta

que pode ser destruido,

mas nunca derrotado.

O cotidiano poético de Roberto Kaihara.

 

 

 

 

 

 

 

ps. Imagem realizada durante as tradicionais Festas de Santo Reis no município de Palmital.

Comuns oferecem almoço aos seus conterrâneos e a cia. da bandeira.