Alunos da Unesp de Marília entram em greve e ocupam a universidade

Funcionários da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Marília(SP) entraram em greve nesta segunda-feira (30), contra a proposta de reajuste salarial do Estado oferecida aos servidores que foi de 3%, segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Unesp (Sintunesp).  Os alunos da universidade também estão em greve e aproximadamente 100 grevistas ocupam o prédio de atividades didáticas, segundo os estudantes.

A greve dos alunos foi decidida em assembleia na última terça-feira (24). As reivindicações são a permanência estudantil, democratização da universidade, contra repressão, pautas especificas dos cursos e outras pautas gerais.

Em nota, a Unesp informou em relação a reivindicações de estudantes que a universidade está aberta ao diálogo e vem recebendo as pautas de reivindicação quando apresentadas e as conduz em suas instâncias administrativas na unidade e na Reitoria. Os tópicos são avaliados dentro do planejamento da instituição na área de Permanência Estudantil e das condições orçamentário-financeiras da instituição.

Sobre a reivindicação dos alunos de sua participação nos órgãos colegiados da instituição, a Unesp informa que o canal permanece aberto para que isso ocorra, mas os alunos não demonstraram até agora capacidade de organização e mecanismos de representatividade internos que permitam essa participação.

Outras cidades

Funcionários da Unesp de Botucatu também estão em greve desde terça-feira (24).Aproximadamente 40 servidores da Universidade do Estado de São Paulo (USP) de Bauru também paralisaram atividades, segundo o sindicado de servidores da USP.  As reivindicações são 10% de reajuste, mais 3% de perdas (referentes aos reajustes retroativos dos últimos anos que não foram concedidos), mais aumentos nos vales que estão congelados desde 2013.

O Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp) se reuniu, no dia 16 de maio, com o Fórum das Seis, composto pelo Centro Paula Souza, USP, Unesp e Unicamp, e apresentou a proposta de reajuste salarial de 3% aos servidores da USP, Unesp e Unicamp e não houve menção ao vale-alimentação.

A proposta do Cruesp para o Fórum das 6, foi um reajuste total de 3%. O Fórum busca chegar a um acordo com os reitores sobre a questão salarial. A proposta é que tenham um reajuste da remuneração de acordo com a inflação pelo Dieese, mais 3% – o que daria cerca de 12,84%.

Uma nova reunião entre o Cruesp e o Fórum das 6 foi realizada nesta segunda-feira (30). O Cruesp manteve a proposta de reajuste de 3% sobre o salário de maio. No caso da Unesp, a instituição se compromete a conceder esse reajuste assim que as sua condições orçamentárias e financeiras permitirem. Ficou acordado ainda o futuro agendamento de reuniões técnicas para acompanhar a situação financeira das universidades públicas paulistas.

Fonte: G1 

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info