Casos de irregularidades e nepotismo na secretaria municipal de Educação serão denunciados ao Ministério Público

Nesta semana, a reportagem do Contratempo recebeu graves denúncias a respeito de irregularidades que estão acontecendo na secretaria Municipal de Educação, cujos fatos devem ser encaminhados em forma de carta ao Ministério Público de São Paulo nos próximos dias.

Segundo informações descritas na carta, a que a reportagem do Contratempo teve acesso, diretores de escolas municipais do Ensino Fundamental foram obrigados a alterar os boletins de frequência e tirar os nomes dos vice-diretores que foram nomeados de forma ilegal.

De acordo com a denúncia, a ordem para realizar a alteração partiu da professora Olenka Albano, que está em desvio de função e com cargo irregular na Secretaria Municipal de Educação, já que não pode ser nomeada em virtude do marido Carlos Mello, ocupar cargo de confiança no Gabinete do Prefeito Lucas Pocay, o que caracterizaria nepotismo.

A carta denuncia ainda a existência de diretores que estão exercendo o cargo sem terem sido nomeados, fato que pode gerar um processo de improbidade administrativa contra o secretário municipal de Educação Wilson de Moraes Rosa Filho e o prefeito Lucas Pocay.

Segundo o teor da carta, as denúncias serão protocoladas no Ministério Público e no TCE (Tribunal de Contas do Estado) juntamente com os respectivos documentos originais e alterados por determinação da assessora da secretaria de Educação.

Outro caso de nepotismo na prefeitura

A reportagem do Contratempo recebeu outra denúncia de que além do caso de Olenka Albano, há outra situação semelhante existente na administração municipal.

Se trata da professora Ilma Mendes Silva que ocupa um cargo de confiança na secretaria Municipal de Educação desde o início da gestão de Lucas Pocay em janeiro deste ano, mas que até agora não foi nomeada, já que sua filha Marília Gabriela Mendes foi nomeada diretora de Recursos Humanos da secretaria municipal de Administração, o que configuraria nepotismo.

Leia abaixo a íntegra da Carta ao Ministério Público, a qual a reportagem do Contratempo teve acesso: 

CARTA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Os Diretores das Escolas Municipais de Ourinhos, foram obrigados a fazer alterações nos Boletins de Frequência, por ordem da Profa OLENKA (em desvio de função e com cargo irregular na Secretaria Municipal de Educação ) pois não pode ser nomeada em virtude do marido Carlos Mello estar com cargo no Gabinete do Prefeito Lucas Pocay, o que caracteriza NEPOTISMO pois a mesma está tomando decisões em nomeações. 

Os Diretores do Ensino Fundamental foram obrigados a alterar os boletins de frequência e tirar os nomes dos VICES Diretores, pois foram nomeados de forma ilegal.

Diretores em escolas sem nomeações tem que ser analisada a fundo, pois dá improbidade administrativa para o Prefeito e o Secretário de Educação;

Cadê os boletins de frequência já que os vices Diretores trabalharam o mês todo! 

Servidores de outras secretarias trabalhando a noite, só para ganhar hora extra? (Ué não tem dinheiro a prefeitura) 

Denúncias serão protocoladas no MP e no TCE com os documentos originais e os alterados! 

Educação em Ourinhos não sendo levado a sério!

 

Comentários no Facebook