Policia Federal prende ourinhense envolvido no ato terrorista em Brasilia

Nelson Eufrosino destruindo vidraças do STF

De acordo com reportagem do G1, a  Polícia Federal cumpriu mandado de prisão preventiva e de busca e apreensão em Ourinhos (SP) nesta terça-feira (18) pela 10ª fase da Operação Lesa Pátria com o objetivo de identificar pessoas envolvidas nos atos golpistas registrados em Brasília (DF) no dia 8 de janeiro.

O alvo na cidade  foi identificado como Nelson Eufrosino morador da Vila Margarida, que participou dos atos. Nelson aparece em imagens tentando quebrar vidraças no prédio do Supremo Tribunal Federal (STF). O suspeito foi detido em Ourinhos e levado para sede da PF em Marília, segundo apurado pelo temmais.com. 

Na ocasião, Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal foram invadidos por indivíduos que promoveram violência e dano generalizado contra os imóveis, móveis e objetos daquelas instituições.

Ao todo estão sendo cumpridos dezesseis mandados de prisão preventiva e vinte e dois mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, em Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal.

Alvo dos mandados em Ourinhos, Nelson também já teve seu nome incluído na lista da Advocacia-Geral da União (AGU) que pede à Justiça o ressarcimento de R$ 20,7 milhões devido aos atos de vandalismo do dia 8 de janeiro.

Segundo a PF, em relação à Operação Lesa Pátria, “os fatos investigados constituem, em tese, os crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido”.

A Operação Lesa Pátria, de acordo com a corporação, “segue em curso, com atualizações periódicas acerca do número de mandados judiciais expedidos, pessoas capturadas e foragidas”.

Quem tiver informações sobre a identificação de pessoas que participaram, financiaram ou fomentaram os fatos ocorridos em 8 de janeiro em Brasília entrar em contato por meio do e-mail denuncia8janeiro@pf.gov.br