Dez condenados do 8/1 quebram tornozeleira e fugiram do país

Fátima Aparecida Pleti, empresária, 61 anos, de Bauru (SP)

Matéria do repórter Eduardo Militão do UOL publicada na manhã desta 3ª feira traz a seguinte manchete; “Condenados do oito de janeiro quebram tornozeleira e deixa um país”.

De acordo com reportagem, militantes bolsonaristas condenados ou investigados por participarem dos ataques golpistas às sedes dos Três Poderes, em 8 de janeiro do ano passado, quebraram suas tornozeleiras eletrônicas e fugiram do Brasil.

Ângelo Sotero, músico, 59 anos, de Blumenau (SC)

A matéria revela que  51 pessoas suspeitas de participarem de atos golpistas em 2022 têm mandados de prisão em aberto ou fugiram. Pelo menos,  dez fugiram para o exterior pelas fronteiras de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e teriam rumado  para Argentina e Uruguai.

Sete dos fugitivos foram condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a mais de dez anos de prisão por participar da tentativa de golpe de Estado em 8 de janeiro. Seis são mulheres, e a maioria é natural dos Estados do Sul (PR e SC) e do Sudeste (SP e MG).

Gilberto Ackermann, corretor de seguros, 50 anos, de Balneário Camboriú (SC)

As informações constam nos registros do STF e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), incluindo ordens de prisão, além de depoimentos de familiares, investigadores, amigos e advogados.

Daniel Luciano Bressan, pedreiro e vendedor, 37 anos, de Jussara (PR)

A lei prevê que  a destruição da tornozeleira e a fuga não acarretam um aumento na punição, mas o fugitivo perde o direito ao regime aberto, sendo transferido para o regime semiaberto ou fechado. No entanto, auxiliar na fuga é considerado crime, sujeito a uma pena de seis meses a dois anos de detenção.

Jupira Silvana da Cruz Rodrigues, 58 anos, de Betim (MG)

 

 

Da esquerda para direita: Raquel de Souza Lopes, 51 anos, de Joinville (SC); Alethea Verusca Soares, 49 anos, de São José dos Campos (SP);  Luiz Fernandes Venâncio, empresário, 50 anos, de São Paulo (SP); Rosana Maciel Gomes, 50 anos, de Goiânia (GO); Flávia Cordeiro Magalhães Soares, empresária, 47 anos

Fonte Uol

 

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info