Salário dos vereadores de Ourinhos sobe de R$8.854 para R$13.500

 

Não poderia ser mais oportuno. Enquanto a população está entretida e distraída com Festival de Música e Jogos Regionais movimentando a cidade,  12 dos 15 vereadores da Câmara Municipal de Ourinhos aprovaram na noite de ontem (17) um aumento de 52,47% nos salários dos parlamentares.

Os novos valores a serem pagos com dinheiro público passarão a vigorar na legislatura de 2025, para os vereadores eleitos ou reeleitos na próxima eleição municipal no final de 2024.

Os  valores saltam dos atuais R$8.854,00 para R$13.500,00 para 14 dos 15 edís, já o que eles chamam de “subsidio” para o presidente da casa, pula dos R$9.514,00 para R$14.500,00,  aumento de 52,40%.

A população é ultima a saber

Sem nenhum alarde, de maneira que 99% da população ourinhense desconhecesse o projeto  de lei que autorizou o aumento dos salários, o grupo que votou a favor também instituiu por lei o 13ºsalário parlamentar.

Durante a sessão nenhum dos vereadores que votaram a favor, falou “do próprio assento”, ou  ocupou a tribuna para argumentar porque votou sim para o aumento. E mesmo dar as imprescindíveis explicações a população, que não tem a mínima ideia das justificativas para necessidade de antecipar o aumento dos salários para próxima legislatura.

De 15 para 17 vereadores

E vem mais por aí, também sem dar a devida publicidade ao assunto o projeto de lei que aumenta o número de vereadores na casa de 15 para 17, não entrou na pauta de votação na mesma sessão conforme foi ventilado.

Os vereadores que votaram pelo aumento dos salários  e à criação do 13º  foram o presidente  Fernando Rosini “Furna “(União Brasil), Nilce Araújo Garcia (PSD), Marcio José Domingos “Marcinho” (União Brasil), AnísioAparecido Felicetti (PP), Abel Diniz Fiel (PSD), Fernando Prado Francisco “Seco” (PP), Alexandre Florencio Dias “Enfermeiro” (PSD), Ederson Aparecido Machado “Kita”(MDB), Éder Mota (MDB), Giovanni Gomes De Carvalho (PL), Valter “Latinha”do Nascimento (PP) e Roberto Tasca (MDB).

A vereadora Roberta Stopa (PT) e o vereador Luiz “Borjão” Bengozzi não estiveram presente à sessão, somente Guilherme Gonçalves (PODEMOS) votou contra.

APOIE

Seu apoio é importante para o Jornal Contratempo.

Formas de apoio:
Via Apoia-se: https://apoia.se/jornalcontratempo_apoio
Via Pix: pix@contratempo.info