Vítima de câncer há 20 anos, morre Nathy Estevam, a guerreira da luta pela liberação da Fosfoetanolamina

Uma guerreira. Talvez o termo, de tão usado quando o tema é a luta pela vida, não compreenda exatamente o que significava esta mulher. Nathy Estevam morreu no último sábado, 22, na fila do tratamento convencional e sem ter direito a alternativa que centenas de pacientes de câncer alcançaram e pela qual também lutou: fosfoetanolamina sintética.

Modelo de beleza e vitalidade, ela foi a alma dos que tinham força, mas especialmente dos que não tinham. Durante mais de 20 anos ela lutou contra a doença que, nos últimos tempos, insistia em debilitá-la.

Sua morte é também um apagar de uma forte chama entre os guerreiros.

Recentemente, fragilizada com as dores lancinantes da doença e com as intrigas dos grupos, ela preferiu se recolher e calar. Pouco falava e, quando se dirigia ao mundo, era para gritar que não queria mais brigar – mas viver da própria ferida e dor. Nathy partiu e vai deixar lacuna e saudade.

Fonte: Conexão Jornalismo